Superintendente explica impacto no trânsito durante obras de duplicação da Artêmia Pires

A ordem de serviço para execução das obras foi assinada pelo prefeito Colbert Martins Filho no último dia 26 de junho.

Foto: Divulgação

O governo municipal anunciou a requalificação e duplicação da avenida Artêmia Pires, no bairro Sim, em Feira de Santana. A ordem de serviço para execução das obras foi assinada pelo prefeito Colbert Martins Filho no último dia 26 de junho.

A obra abrangerá cerca de 4,5 km da via, partindo do cruzamento com a Avenida Fernando Pinto de Queiroz até o Anel de Contorno. As intervenções incluem a duplicação de trechos estratégicos da avenida, a implantação de rede de drenagem pluvial e melhorias na infraestrutura ao longo da via.

De acordo com o Superintendente de Trânsito, Cleudson Almeida, nesta fase inicial, as obras não causarão grandes impactos no trânsito local.

‘Agora será feita a execução da primeira fase da obra que é efetivamente a implantação dos canteiros de obra ali na Artemia Pires nas áreas já designadas no projeto executivo. Temos também uma obra estrutural, que é o retorno logo após a FTC, e também já a disposição de execução de uma direita livre nas proximidades do atacadão São Roque. Essas execuções iniciais nós estamos com a previsão de não causar impactos na trafegabilidade da Artêmia Pires por enquanto, já que essas obras podem ser executadas sem efetivamente causar interdição da via. Estaremos no local com equipamentos novos, com canteiro de obras, teremos ali entrada e saída de veículos, o que vai trazer um fluxo maior, mas não ao ponto de, nesse momento, trazer interdição total ou parcial da via. Em alguns momentos, a comunidade tem que ter uma compreensão que haverá equipamentos mais pesados em alguns trechos da via, e outras unidades também implantadas, justamente para que a obra tenha sua fluidez’, explica. 

O superintendente aponta que o projeto executivo estrutural da via prevê sim um retorno nas proximidades da FTC, nas proximidades ali da FTC, com fluxo de sentido único.

‘Numa outra fase, como está previsto, no sentido do anel de contorno até a FTC, será sentido único, ou seja, será sentido centro-bairro. Então isso aí sim haverá necessidade de, nesse trecho, já trazermos pontos de interdição da via e necessariamente passar para a comunidade vias alternativas de acesso tanto para o anel de contorno quanto para a avenida Noide Cerqueira’, afirma Cleudson. 

Com informações do repórter Joaquim Neto 


Compartilhe

Deixe seu comentário