Dia dos Namorados: consumidor deve gastar R$ 185 para agradar o parceiro

Peças íntimas, perfumaria e calçados estão entre os principais segmentos desse período

Foto: Divulgação / Shutterstock

Passeios românticos, um jantar especial, idas ao cinema. São diversas as possibilidades para os apaixonados na data mais romântica do ano, o Dia dos Namorados. E, para muitos casais, o presente não pode faltar. Este ano, a expectativa do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado da Bahia (Sindilojas) é que haja um crescimento de ao menos 10% nas vendas em relação ao ano passado no estado.

O consumo médio projetado pela associação é de R$185. Segundo a associação, a data, assim como todo o mês de junho, é uma das campeãs em consumo: o sexto mês do ano está em terceiro lugar no ranking de vendas para o comércio varejista, atrás apenas de dezembro e maio, respectivamente.

“Isso acontece porque o consumo é duplo: quem presenteia também recebe um presente. Por isso, dobra a expectativa de geração de negócios. Os destaques são os segmentos de confecções, peças íntimas, bolsas, calçados, perfumaria, artesanato, bijuterias e floricultura. É uma data muito importante para o varejo”, afirma Paulo Motta, presidente do Sindilojas

A Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) também espera acréscimo nas vendas dos Shopping Centers de Salvador e Região Metropolitana. O aumento aguardado pela agremiação é entre 8% a 10%, principalmente em vestuário, calçados, bijuterias, acessórios e perfumes.

De acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado da Bahia (Fecomércio), não há projeções para o Dia dos Namorados, porque a entidade não consegue definir o que seriam as vendas para as datas.

Entretanto, a Fecomércio afirma que pode-se falar de um quadro mais favorável para o consumidor em 2024, o que deve impactar positivamente as vendas para o dia 12, sobretudo no setor de vestuário, o mais procurado.

Informações Jornal Correio

SUFOTUR - SÃO JOÃO 2024

Compartilhe

Deixe seu comentário