MPT cobra de prefeituras a contratação de catadores em grandes festas juninas

Um dos objetivos é garantir um sistema de coleta e reciclagem de resíduos sólidos, como latas e garrafas

Foto: Divulgação/ MPT

O Ministério Público do Trabalho (MPT) está cobrando, pelo menos, 31 municípios baianos que programaram grandes festas juninas para que as prefeituras contratem o serviço de cooperativas ou associações de catadores de recicláveis. O objeto é garantir a estruturação de um sistema de coleta e reciclagem dos resíduos sólidos, dando um destino correto a latas e garrafas plásticas e de vidro geradas em grande volume durante esse tipo de evento, além da geração de renda para os catadores.

Foram encaminhadas 21 recomendações diretamente aos gestores municipais, agendadas audiências com prefeitos de quatro cidades e outras três foram notificadas a apresentar informações sobre reciclagem nas festas programadas, segundo a procuradora Adriana Campelo, que atua na promoção do trabalho digno de catadores de recicláveis.

Dentre as cidades que terão audiências sobre reciclagem nas festas juninas com procuradores do MPT estão Ilhéus, Itabuna, Juazeiro e Santo Antônio de Jesus. Entre as cidades que receberam recomendações estão Salvador, Camaçari, Candeias, Guanambi e Jequié.

“Temos conseguido bons resultados em eventos como o Carnaval de Salvador e a Micareta de Feira de Santana, com o poder público articulando a política pública de promoção do trabalho digno e da responsabilidade ambiental, e queremos cada vez mais replicar essa experiência em todos os grandes eventos da Bahia”, relatou Adriana Campelo.

Ainda nesta semana o prazo dado pelo MPT para que o governo estadual preste as informações solicitadas em relação à estrutura montada no Parque de Exposições de Salvador chegará ao fim. O local terá 14 dias de festas juninas promovidas pela Sufotur, que é a superintendência estadual responsável pela organização do evento.

Também nos municípios, o governo estadual poderá dispor de estrutura de apoio para cooperativas, embora o protagonismo seja do município, organizador dos eventos.

A atuação do MPT tem o objetivo de implementar a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei nº 12.305/2010), em especial, em relação à contratação de cooperativas ou associações de catadores de materiais recicláveis para os serviços de logística reversa. Em muitos casos, os municípios negociam para que empresas patrocinadoras desses eventos arquem com os custos de logística e estruturas de apoio à atividade dos catadores.


SUFOTUR - SÃO JOÃO 2024

Compartilhe

Deixe seu comentário