PF descobre nova joia nos EUA durante investigação contra Bolsonaro

A PF espera que o tenente-coronel Mauro Cid seja ouvido nos próximos dias para fornecer mais detalhes sobre o item de luxo

Foto: Clauber Cleber Caetano/PR

Um nova joia cravejada de pedras preciosas que teria sido negociada nos Estados Unidos por pessoas ligadas ao ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) foi descoberta durante investigação da Polícia Federal. Agora, os investigadores querem descobrir informações sobre onde a joia está atualmente. As informações são da CNN.

Há suspeitas de que a joia também possa ter sido um presente de um país do Oriente Médio ao ex-presidente.  O novo item de luxo foi descoberto há poucas semanas, após ações dos investigadores nos EUA.

Em depoimento, uma pessoa ligada a uma joalheria americana, descreveu o valor potencial do objeto, afirmando que suas as pedras preciosas poderiam ser extraídas para comercialização. No entanto, o depoente informou que o negócio acabou não sendo concluído.

As investigações preliminares sugerem que a joia estava guardada no mesmo estojo que continha uma escultura de palmeira, folheada a ouro, entregue a Bolsonaro durante um encontro entre empresários brasileiros e árabes no Bahrein, país localizado na Ásia.

Mauro Cid – A avaliação dos investigadores é que o depoimento prestado ainda precisa ser corroborado por mais provas. Portanto, a expectativa é de que o tenente-coronel Mauro Cid, ex-ajudante de ordens de Bolsonaro, seja ouvido nos próximos dias para fornecer mais detalhes sobre a existência, a origem e o destino do objeto.


A joia não teria sido incluída na “operação resgate”, que envolveria aliados do ex-presidente na recompra de itens vendidos no exterior após uma determinação do Tribunal de Contas da União (TCU) para a devolução dos presentes.

SUFOTUR - SÃO JOÃO 2024

Compartilhe

Deixe seu comentário