Vice-prefeita apresenta dados parciais sobre as ocorrências de saúde durante o Carnval de Salvador

Os módulos de saúde da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Salvador prestaram assistência a 819 foliões e em comparação com o último ano, houve um aumento de 9,8% das ocorrências.

Foto: Jefferson Peixoto/Secom PMS

Os módulos do Fique Sabendo registraram baixa na procura de testes para detecção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), até o terceiro dia oficial de folia em Salvador. Foram realizados 816 procedimentos para 204 usuários, redução de 23% comparado ao mesmo dia em 2023.

No total, oito testes foram positivos para HIV, 29 reagentes para sífilis e três para hepatites. Dos positivados para sífilis, apenas cinco pessoas aceitaram iniciar o tratamento com a aplicação de penicilina ainda no módulo de saúde.

A vice-prefeita de Salvador e titular da SMS, Ana Paula Matos, alerta a população sobre a relevância da ação. 

“Estamos prestando um serviço de extrema importância. Uma vez conhecendo a condição de saúde, conseguimos frear a barreira de transmissão. Nos procurem, façam seu exame, quanto mais rápido o início do tratamento, melhor para a saúde”, destaca.

Os módulos de saúde da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de Salvador prestaram assistência a 819 foliões e em comparação com o último ano, houve um aumento de 9,8% das ocorrências.

Uma situação que tem chamado a atenção são os casos de conjuntivite durante a folia. Em anos anteriores eram mais comuns no pós-Carnaval. Os episódios podem estar associados a reações alérgicas, agentes irritantes ou até mesmo mãos sujas em contato com os olhos. A gestora da Saúde pontua ainda sobre a procura por atendimentos decorrentes de diarreia. 

'A adoção de cuidados e hábitos de higiene durante o consumo de bebidas e comidas são de suma importância no enfrentamento desses episódios, bem como, uma boa hidratação do corpo. Tudo isso pode contribuir para evitar o mal-estar', diz. 

O Centro de Referência Em Saúde do Trabalhador (Cerest) assistiu mais de 7 mil ambulantes, cordeiros e catadores de materiais recicláveis, tendo também promovido a inspeção de 46 estabelecimentos para verificação das conformidades em relação às condições de trabalho dos profissionais temporários da festa.

Para prevenir os riscos advindos do uso e do consumo de produtos e serviços, a Vigilância Sanitária de Salvador (Visa) já realizou mais de 2,8 mil ações de fiscalização. A maior parte das vistorias foi em comércios informais (2.416), como baianas e baianos de acarajé, ambulantes e barracas de comercialização de alimentos, seguida por camarotes (261) e comércio formal (146), incluindo bares, lanchonetes, restaurantes e transporte de gelo. Além disso, carros de apoio (26) e trios (9) também foram inspecionados.

A Vigilância em Saúde Ambiental (VISAMB) já realizou 78 coletas de amostras de água nos circuitos Dodô (Barra/Ondina), Osmar (Centro), Batatinha (Pelourinho) e Mestre Bimba (Nordeste de Amaralina), totalizando cerca de 390 análises de parâmetros de potabilidade da água consumida no circuito do Carnaval. Apenas dois estabelecimentos foram notificados para correção dos padrões da qualidade da água.

Compartilhe

Deixe seu comentário