Mês de outubro registra queda nas doações no BLH do Hospital da Mulher

As doações são essenciais para bebês prematuros que ainda não desenvolveram completamente a sucção

Foto: Divulgação

Em outubro, o Banco de Leite Humano (BLH) do Hospital da Mulher registrou uma queda na coleta de leite em comparação com agosto, passando de 196 ml para 113 ml. Essa redução impacta diretamente os bebês prematuros e internados. A quantidade de mães doadoras externas, essenciais para suprir essa demanda, totalizou 95.

Nadja Vieira, enfermeira e coordenadora do BLH, ressalta a importância dessas doações para bebês prematuros que ainda não desenvolveram completamente a sucção. Segundo a profissional, o leite humano pasteurizado fornece anticorpos cruciais, especialmente o colostro, rico em substâncias imunológicas, reduzindo infecções e o tempo de internamento. 

"O leite que chega é exatamente distribuído para esses bebês que não podem ir diretamente para o peito da mãe, porque quando o bebê suga, ele demanda esforço, e às vezes esse bebê também perde peso", observa.

Este mês é considerado o "Novembro Roxo", campanha que destaca a prematuridade. Nadja enfatiza que durante a campanha as doações são vitais para bebês que ainda não têm habilidades completas de sucção, deglutição e respiração, como os bebês prematuros.

Camila, puérpera internada há dois meses com um bebê prematuro, destaca a alegria em doar leite, apesar das dificuldades. "É uma alegria doar esse leite. Ele ainda não teve contato com o meu peito, então esse momento também acaba sendo um pouco difícil", relata.

O estoque atual do BLH é de 570 litros e em outubro foram coletados somente 113ml, e distribuídos 61 litros para 143 crianças. Nadja Vieira também destaca que “a conscientização sobre a importância das doações é de extrema importância para garantir o suprimento necessários aos bebês que estão internados”.

Compartilhe

Deixe seu comentário