Consumidores reclamam dos preços de alimentos e comerciantes culpam alta do diesel

A nossa reportagem foi às ruas para ouvir consumidores e comerciantes sobre o que tem sido feito para driblar esta situação.

Foto: Reprodução

Com a alta do óleo diesel, o impacto gerado na cadeia produtiva afeta todos os setores da economia, em especial os alimentos que sofrem alta por conta do valor cobrado no frete dos produtos até as feiras e prateleiras dos supermercados. 

A nossa reportagem foi às ruas para ouvir consumidores e comerciantes sobre o que tem sido feito para driblar esta situação. De acordo com o consumidor Horácio Almeida, os preços estão cada vez mais altos.

“A gente vê hoje que quase dobrou ou mais, acho que os preços aqui estão 50% mais caro. No supermercado a gente fazia uma feira de R$ 1.000,00, hoje tem que levar R$ 1.500,00 para levar os mesmos produtos. Aqui na feira tá ai o tomate e até o tempero verde aumentou, o óleo diesel estourou na Bahia, é impossível aguentar. Caminhoneiro está parando, não esta com condição de pegar frete. O frete não cobre o óleo diesel e a manutenção do carro e do próprio motorista que tem que comer e beber na estrada prejudica todo mundo”, disse.

O comerciante Eduardo Santos conta que houve um amento em torno de 20% nas carnes e que está complicado passar o valor para os consumidores. Atribuindo o aumento desenfreado nos alimentos à alta do óleo diesel, ele ressalta não saber como trabalhar desta forma, com receio de perder consumidores. 

“Está muito caro, e vem chegando o período de São João vai subir mais ainda, antes os preços eram mais razoáveis dava para passar, trabalhar melhor com os clientes, mas agora a gente vai ter que passar e ganhar alguma coisa”, afirma.

Com informações do repórter Joaquim Neto


PMFS - Vacinação

Compartilhe

Deixe seu comentário