Pré-candidato ao governo da BA, João Roma, fala sobre a alta dos combustíveis, violência e eleições

Na manhã desta quarta-feira (11), o Bom dia Feira entrevistou o pré-candidato João Roma

Foto: Reprodução

Com aumento de 8,87% o diesel que custava R$ 4,51 passou a custar R$ 4,91. Segundo a Petrobras o diesel não sofria reajustes há mais de 60 dias, por conta da repercussão dos últimos aumentos o presidente Jair Bolsonaro, exonerou o ministro de Minas e Energia Bento Costa Lima Leite de Albuquerque. 

Na manhã desta quarta-feira (11), o Bom dia Feira entrevistou o pré-candidato João Roma. Dentro os assuntos abordados, Roma foi questionado sobre as últimas altas que o combustível sofreu. 

“A questão dos combustíveis hoje, é um dos principais itens para quesito fracionário. Então isso é o drama que o Brasil tem vivido, no período da pandemia o Brasil não deixou o desabastecimento de combustível e nem de comida no supermercado, mas a realidade é que precisa ser feito algo. O presidente Bolsonaro está muito inquieto com isso, mudou a presidência da Petrobras, empresa que por ter acionistas do mundo privado ela tem se mostrado insensível com a realidade. Uma empresa que está tendo lucros exorbitantes não consegue enxergar que precisa sim, equalizar esses impactos.  Vejo que o presidente já fez alguns apelos e agora mesmo está tomando providências para que nós possamos ter cada vez mais resiliência e que o povo possa ter na bomba combustível acessível. Agora em contrapartida você vê a insensibilidade do governo do estado da Bahia que não diminui um centavo da cobrança de impostos nos combustíveis mesmo no período da pandemia”, disse. 

Na oportunidade, o ex-ministro que também é pré-candidato ao Governo da Bahia, falou sobre a segurança pública. De acordo com ele, a gestão estadual não protege o cidadão e a criminalidade está desenfreada e com isso o mesmo defende o a liberação do armamento. 

“A segurança não tem respaldo, o que precisa é postura, enxergar a realidade da Bahia que gasta 1 bilhão de reais em propaganda e não dá o básico para os profissionais prestarem um serviço básico a população. O que não dar é o governo transferir a responsabilidade, precisamos de um governo enérgico. O cidadão de bom tem sim o direito de comprar um arma, alguém já viu um bandido comprar uma arma de fogo? Não! Ele pega na rua de forma fácil, e sem nenhuma comprovação e vai lá e usa contra um cidadão de bem, então precisamos que a sociedade tenha noção do risco que estamos vivendo na Bahia, a situação que estamos passando que já passou dos limites, tem que dar um basta. O governo precisa de postura, esta ai provado que o problema não é de recurso.”, declara.

Com foco nas Eleições 2022 e contando com o apoio do presidente Bolsonaro a sua candidatura, Roma diz estar confiante com a campanha pois acredita no desejo de mudança que a população baiana tem. 

“Naturalmente termos uma das eleições mais acirradas, talvez a mais importante da história do Brasil. Você vai ver uma população que vai buscar nas urnas o futuro do Brasil. E na Bahia como você bem falou temos o candidato Jeronimo, que é o candidato do PT, eu estou ao lado do presidente Bolsonaro e o ex-prefeito de Salvador que não sabe se é carne ou se é peixe”, afirma. 

Assista a entrevista na integra: 



PMFS - Vacinação

Compartilhe

Deixe seu comentário