Marília Mendonça registrou quase 100 composições que não foram gravadas

Ex-parceiro dela explica que é comum autores terem composições na gaveta. Escritório da artista diz que está catalogando material.

Foto: Will Dias

Marília Mendonça registrou 98 composições que não foram lançadas por ela nem por outros artistas. As obras estão registradas no Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), mas nunca se transformaram em uma gravação comercial (fonograma).

Dessas 331, 152 foram gravadas por outros artistas. Elas são da época em que Marília era apenas compositora, entre 2012 e 2016.

Depois, Marília se lançou como cantora e gravou 58 músicas que ela mesma escreveu.

Foram encontrados 23 registros duplicados ou com nomes diferentes para a mesma composição.

As outras obras são as 98 que têm registro de composição, mas não de fonograma.

Quase todas essas composições sem fonogramas são de antes de 2017, quando Marília deu uma pausa na escrita para se dedicar à carreira de cantora. Antes disso, ela tinha um volume impressionante de produção para outros artistas.

Marília tinha parceiros nesta criação frenética. O principal deles era Juliano Tchula, coautor de quase todas as músicas desta fase. Os dois escreveram 224 músicas juntos.

Quase todos os grandes artistas sertanejos gravaram ao menos uma música deles: Henrique e Juliano, Jorge e Mateus, Gusttavo Lima, Zé Neto e Cristiano, Luan Santana, Cristiano Araújo, Matheus e Kauan, Lucas Lucco, Israel e Rodolffo...

A dupla Mendonça-Tchula também emplacou composições no forró, no brega e no pop, como Márcia Fellipe, Wesley Safadão, Joelma, Gabriel Diniz, Aviões do Forró, Solange Almeida e Claudia Leitte.

Com tanta produtividade, é natural que parte fique na gaveta, explica Renno Poeta, autor de hits gravados por Marília como "Todo mundo vai sofrer" e "Esqueça-me se for capaz". "É normal. Claro que a gente, como autor, queria que tudo que produzisse fosse gravado. Mas nem sempre acontece".

Todas as composições de Marília Mendonça são registradas pela Workshow, empresa de Goiânia que cuidava de toda a carreira da artista, inclusive da edição das músicas. A empresa informou que está catalogando o material deixado por ela e que há um grande volume, sem informar a quantidade.

Ao "Fantástico", o advogado da Workshow disse ter retirado do local do acidente um caderno com anotações de Marília, em que pode haver composições. O caderno foi entregue à mãe da artista e seu conteúdo ainda não foi divulgado por ela.

No site da Abramus há nove músicas registradas por ela em 2021 que não foram gravadas: "Calúnia Difamação E Injúria", "De Um Jeito Antigo", "Deixa Que A Luz Eu Apago", "Esquecido E Enterrado", "Esse Cara Não Presta", "Ta Chegando A Hora", "Porta Dos Fundos", "Isso Você Não Vai Ter" e "Imagina"

A Workshow não diz se esse material pode ser lançado de alguma forma ou se houve algum tipo de registro na voz de Marília ou outros músicos. Os fãs vão ter que esperar...

Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário