Chuvas não devem encher reservatórios na primavera 2021; veja cenário do trimestre

Estação, que vai até 21 de dezembro, é marcada pelo aumento das chuvas e da temperatura na maior parte do país.

Foto: Divulgação

A primavera começa oficialmente nesta semana, na próxima quarta, 22 de setembro às 16h21 (horário de Brasília). 

A previsão para o trimestre neste ano indica probabilidade de chuva acima da média histórica no Norte, Centro e Leste do Brasil, mas o total não deve ser o suficiente para encher os reservatórios.

O nível de água dos principais reservatórios do país continua baixando e rápido. A situação é mais preocupante no conjunto de hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste, que concentra 70% de toda a água armazenada no Brasil.

Para a maioria das áreas do Brasil, a primavera significa o retorno da chuva e o aumento do calor. Primavera, na origem da palavra, é o “primeiro verão”. 

A estação termina em 21 de dezembro.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), as previsões para a estação neste ano incluem:

Chuva acima da média nos seguintes estados: AM, RR, PA, TO, AP, MA, PI, CE, RN, oeste de PE, oeste da BA, norte e leste de MG, norte de GO, DF, extremo norte e extremo leste de MT, norte e leste de MG, sul do ES, oeste e norte do RJ e extremo sudeste de MS;

Chuvas abaixo da média histórica nos estados da região Nordeste, parte de MS e SP, sul de MG, oeste do PR e de SC;

Temperaturas mais altas do que a média histórica na parte central e nordeste do Brasil;

Temperaturas abaixo da média em áreas do Norte do Brasil;

Fenômeno La Niña poderá impactar nas chuvas no Sul do Brasil;

É chamado de La Niña o resfriamento da temperatura da superfície das águas do Oceano Pacífico Tropical Central e Oriental. O fenômeno natural gera uma série de mudanças nos padrões de precipitações e temperaturas do globo terrestre.

Segundo o Inpe, o volume de chuvas na região Sul do país poderá ser afetado pelo fenômeno.

"É importante destacar que esta previsão não descarta a ocorrência de eventos expressivos de chuva nas áreas do sul do Brasil. No entanto, o possível desenvolvimento e atuação do fenômeno La Niña poderá gerar condições de déficit de precipitação no final do trimestre em parte do Sul do Brasil.

O regime de chuvas é um dos pontos mais sensíveis desta primavera:

Outubro

De acordo com uma previsão feita pela Climatempo para o trimestre, no mês de outubro irá chover mais do que a média histórica. Contudo, o volume de chuvas ainda não será suficiente para solucionar o problema de energia elétrica.

"Para começar a subir reservatório, eu preciso ter 100 milímetros de chuvas em cinco dias porque antes de encher os reservatório eu preciso umedecer o solo. Então, mesmo que chova mais do que a média em outubro, ainda não será o necessário para diminuir o custo da energia", explica Patrícia Diehl Madeira.

Novembro

As temperaturas começam a subir em novembro. As chuvas, que em outubro foram maiores que a média histórica, neste mês se tornam irregulares.

"As chuvas são serão homogêneas, mas poderá existir pancadas de chuvas. O maior ganho das chuvas nesse período será segurar as ondas de calor e umedecer o solo", diz Patrícia Madeira.

Dezembro

Dezembro deve ser o mês mais crítico do trimestre, registrando volume de chuvas abaixo da média histórica para o período.

"Isso não quer dizer que não vai chover. Isso não quer dizer que não teremos grandes temporais, mas que a quantidade de chuva esperada para o mês será menor do que a média e a temperatura será maior do que o normal", diz Patrícia Madeira.

Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário