OS EXTREMISTAS NO PLANALTO

Foto: Divulgação

A notícia é requentada, mas é representativa daquilo que o presidente Bolsonaro tem como pensamento político, mas trás o que há de pior em ideologia. Refiro-me a foto mostrada nas redes sociais do chefe do executivo federal, no caso Bolsonaro, abraçado com uma deputada de um partido político da extrema direita da Alemanha e o primeiro desde o fim da segunda guerra mundial a ser investigado naquele país por suas posições radicais.

A deputada que esteve no Palácio da Alvorada sem constar na agenda oficial, Beatrix von Storch, é do partido extremista da direita o Alternativa, que não só flerta com o neonazismo como defende suas ideias, ainda que de forma sutil. É ainda a parlamentar, neta do ministro das finanças de Hitler por 12 anos, o Lutz Graf. Este sujeito não se entregou mesmo com o fim da segunda guerra. Foi condenado a dez anos de prisão. Claro que filhos e netos não podem ser condenados por atos de seus pais e avós. Mas no caso da deputada ela não só é representante do há de pior em ideias políticas como defende princípios que eram a força motriz do partido ao qual seu avô pertencia no nazismo alemão.

Pois bem, está sujeita, sabe-se lá como, esteve no Brasil, a convite ou não, também não se sabe, mas conseguiu fazer peregrinação no alto escalão da política nacional e foi recebida sem maiores constrangimentos. Lembrando que quando falo alto escalão, refiro-me aos cargos e não as pessoas, uma vez que são, digamos assim, semianalfabetas. Obviamente que as pessoas que posaram em fotos sorridentes sabiam perfeitamente quem era esta parlamentar alemã e o que ela representa. Apenas para citar as ideias defendidas por ela são: xenofobia extrema, a ponto de dizer que deveria a polícia da fronteira a atirar até em mulheres e crianças para não entrar na Alemanha, prega o antissemitismo e de quebra ainda traz a islamofobia. Como se vê, um caldeirão de coisas abjetas que ao que parece nada disto foi levado em consideração pelos anfitriões.

A distinta deputada alemã nunca foi recebida por qualquer autoridade no mundo civilizado. Seus périplos são para o ditador da Síria e o da Rússia, o Putin, ou seja, gente sem credenciais nenhuma. O fato de o presidente da república receber de sorriso largo uma cabeça coroada do extremismo da direita diz muito que se espera do presidente da república e as coisas que defende. Não vale dizer que ele não sabia o que a deputada tem como ideologia. Uma boa parte do eleitorado do Bolsonaro, nada nas braçadas do extremismo da direita. E são aqueles que ficam diariamente a soltar as maiores sandices nas redes sociais. E isto não deixa de ser preocupante. Apesar de que, aquilo que o presidente da república costuma dizer nunca me enganou, afinal ele representa a ponta de lança da extrema direita brasileira. Não do ponto de vista ideológico, que exige um arcabouço intelectual apurado, coisa que não se encontra nas hostes que o apoiam. Mas do pragmatismo rasteiro que usa a internet para disseminar preconceito, misoginia e por aí vai.

O presidente da república recebe uma parlamentar fortemente inserida com grupos neonazistas alemães e ainda posar para fotos com largos sorrisos e sem agenda oficial, é sim um acinte e desrespeitos aos valores que nossa constituição federal defende. O reacionarismo defendido pela deputada alemã não encontra espaço na sociedade brasileira, uma vez que, ela representa o que há de pior do ponto de vista político e ideológico. As autoridades que a receberam, muito provavelmente nunca leram nada a respeito do significado que carrega a Beatrix, a parlamentar alemã. Aliás tenho até dúvida se conseguem expressar uma frase com sujeito, verbo e predicado, quanto mais ler alguma coisa mais profunda. Mas os amigos me perguntariam, se a Alemanha é uma das forças democráticas do mundo, o fato de ter eleito uma pessoa com esses predicados, não é do jogo democrático? Sim, ela foi eleita, mas ao chegar ao parlamento, o seu partido foi se distanciando daquilo eu propunha inicialmente a ponto de ter posições extremistas, com claro apelo neonazista.

O CONIB  a Confederação Israelita do Brasil de imediato lançou uma nota de repúdio pela visita da deputada alemã, ressaltando o fato de nosso país ser aberto a todos que aqui se dirigem como imigrantes, sem opor as suas convicções religiosas e de etnia. Princípios que a parlamentar alemã repudia com veemência a ponto de defender o assassinato de daqueles que ultrapassaram as fronteiras alemãs como refugiados, inclusive mulheres e crianças.Os dois deputados que também posaram com fotos a indigitada, já era esperado. São sub analfabetos do ponto de vista ideológico, que provavelmente nunca leram nada na vida. Quanto ao presidente da república dizer o quê. Já a deputada, é uma pessoa abjeta de qualquer ponto de vista. Ao olhar as fotos, veio na minha cabeça uma velha frase que já virou lugar comum e que se aplica aos presentes nas fotos: Diga com quem andas, que direi quem tu és.

Compartilhe

Deixe seu comentário