Conta de luz fica mais cara em julho; especialista faz análise e dá dicas de como economizar

Entre os vilões da conta de luz estão os equipamentos que consomem energia para gerar calor, como chuveiro elétrico, secadora de roupas, aquecedores e ferro de passar.

Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) reajustou, em 52%, o valor da bandeira tarifária vermelha 2, a partir deste mês de julho. Com isso, muitos brasileiros vão pagar mais caro na conta de luz e, para reduzir o impacto desse aumento no bolso, a única saída é economizar.

‘Uma conta que você paga R$ 100, com esse aumento, pode trazer, em média, 12-15% do valor do seu consumo, portanto, se mantiver esse consumo, você passará a pagar R$ 112 a R$ 115’, afirma o consultor em eletricidade, Plínio Pereira, ao Bom Dia Feira.

De acordo com ele, entre os vilões da conta de luz estão os equipamentos que consomem energia para gerar calor, como chuveiro elétrico, secadora de roupas, aquecedores e ferro de passar.

‘Vai impactar, trazer custos, modificar, e podemos falar com as pessoas para minimizar o consumo dentro de casa, do comércio, é importante esse momento que estamos passando para que a gente diminua o consumo através dos equipamentos eletrodomésticos, racionalizar. Por exemplo, o ferro elétrico tem o consumo alto, então quando as donas de casa forem utilizar, fazer isso de uma vez, em um ou dois dias da semana, além da geladeira, ar-condicionado’, destaca.

Sem o aumento da produtividade da energia e investimento, o uso consciente da população se torna o principal fator de controle da energia.

‘Se a gente aumenta o consumo e não tem a produção para atender esse consumo, evidentemente que vai fazer falta e é o que está acontecendo, então cabe a cada um de nósl,, 24h a energia está conosco, mas precisamos nos educar’, diz Plínio.

Com informações do repórter Joaquim Neto

Compartilhe

Deixe seu comentário