A HIPOCRISIA E A MENTIRA

Foto: Divulgação

Nunca na história republicana tivemos um presidente tão mentiroso como o atual ocupante do Planalto. Diz as maiores barbaridades e mentiras com uma naturalidade e desfaçatez que fica parecendo que se trata de uma patologia. E às diz com tanta certeza e convicção como nada que fala não será checado.

 

Chefes políticos vez por outra mentem para justificar esse ou aquele descaminho que ocorrem nas suas gestões. Ditadores, não importando a matiz política, a mentira é um poderoso instrumento. No caso do ocupante do Planalto, além de método, já se encontra nos limites da patologia. Incapaz de verbalizar um pensamento coerente, de dizer algo lógico e inteligente, fruto de sua imensa ignorância, de não conhecer nada de tudo, se utiliza de mentiras para justificar a sua incompetência e propalar uma administração caótica de qualquer lado que se olhe, como se fosse um grande gestor. E esquece o digníssimo presidente da república que tudo que fala e diz é facilmente verificável e observa-se quase 70% de suas falas são recheadas de mentiras.

 

Ontem na saída do hospital, onde ficou internado para tratar uma obstrução intestinal, para variar voltou a dizer as bobagens de sempre com aquele ar de que está falando para uma plateia que acredita em tudo que diz. Como não dá entrevista coletiva, como todo chefe de estado que se preza, prefere falas em saídas de hospital, no cercadinho da infâmia na Alvorada. Mas enfrentar, num ambiente próprio e disposto a receber jornalistas e responder perguntas não faz. Mas tem motivo. Primeiro que para ele a imprensa boa é aquela que o bajula, segundo não tem preparo intelectual para responder perguntas mais complexas e terceiro há uma limitação nas mentiras que podem ser rebatidas numa coletiva à imprensa numa forma comum aos outros líderes políticos. Até Trump, aquele imbecil que ocupou a Casa Branca, não se furtava a conceder coletivas. E o fazia mais de uma vez por semana.

 

Voltando às declarações dadas ontem na saída de sua internação no hospital em São Paulo, o presidente da república, entre as muitas mentiras disse algumas que já foram aqui neste espaço rebatidas frequentemente. Então vamos a ela. Primeiro disse que seu governo atuou sempre dentro dos ditames constitucionais. Mentira deslavada. Desde que assumiu, pelo menos uma vez por mês seus decretos, ordens, projetos de lei foram considerados inconstitucionais. É o maior índice de todos os presidentes da república desde a promulgação da constituição federal de 88. As medidas provisórias boa parte foram derrubadas no STF por serem flagrantemente inconstitucionais. Também extinguiu uma penca de conselhos que promoviam controle social e transparência sobre políticas públicas. Todas foram reativadas.

 

Mente de forma deslavada ao afirmar que as eleições não são auditadas. Chega a ser cansativo ver esta mentira ser repetida constantemente. O TSE em todas as eleições, todo o processo eleitoral é auditado pelo Ministério Público, pelos partidos políticos, pela OAB e qualquer cidadão se assim o desejar. E isto é feito antes, durante e depois das eleições. E nunca foi constatado qualquer fraude nas urnas eletrônicas. Ele acusa fraude e não traz prova do que diz. Só por isto já deveria responder processo criminal, mas a PGR numa subserviência silenciosa nada fez até agora para interpelar o presidente da república a apresentar essas provas. Mas o mundo inteiro sabe que ele não tem. Mas fica mentindo descaradamente que tem comprovação da fraude da eleição que o elegeu e das eleições presidenciais anteriores.

 

Na conversa de ontem ele apresenta um cálculo de probabilidade de que de jogar moedinha, que somente crianças de 5 anos com rudimentos de matemática adota para explicar a fraude nas eleições. Na vastidão vazia de sua mente, ele acha que um processo eleitoral é acertado como se fosse num jogo de erros e acertos. Nada mais primitivo o raciocínio, para não dizer burro mesmo. Se tem provas da fraude eleitoral, por que não as apresenta? Simples. Ele não tem.

 

Outra mentira é dizer que no Brasil as vacinas usadas no combate a covid são experimentais. Nenhuma vacina aprovada pela Anvisa é experimental. Todas foram amplamente testadas antes de serem disponibilizadas. Mas na opacidade das ideias presidenciais as vacinas são experimentais. Não existe a possibilidade de uso emergencial sem ter havido antes uma ampla pesquisa médica. Mas o conhecimento de vacinas do presidente da CPI da pandemia no senado federal está demonstrando. Não precisa ser muito inteligente a forma caótica como foi tratado a compra dos imunizantes.

 

Além das mentiras, que viraram lugar comum na boca do presidente da república, ele deu a entender que vai vetar no orçamento da união a utilização de quase seis bilhões de reais destinados ao fundo partidário para serem usados nas campanhas eleitorais dos partidos. A hipocrisia que os que detratavam o uso de dinheiro público para este tipo de situação, votaram sem nenhum pudor pela inclusão e antes vociferavam contra o uso de recursos públicos para tais atividades. A hipocrisia está no fato de que sem o dinheiro público e com a proibição de doações privadas, vai se buscar dinheiro onde? Obviamente e não precisas ser muito esperto que virá do caixa dois. Em todos os países democráticos do mundo as doações privadas são aceitas. Basta uma lei que discipline estas doações, mas a hipocrisia e a mentira são as únicas coisas que prosperam por estas plagas.

Compartilhe

Deixe seu comentário