Bolsonaro ficará internado e receberá tratamento clínico, diz boletim médico

Segundo avaliação de equipe médica do Hospital Vila Nova Star, após exames clínicos, laboratoriais e de imagem, o presidente não deve passar por cirurgia, num primeiro momento.

Foto: Reproduo

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), após avaliações clínicas, laboratoriais e de imagem, permanecerá internado e receberá um tratamento clínico conservador, tendo sido afastada a necessidade de uma cirurgia neste primeiro momento, segundo informações do boletim médico divulgado pelo Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, em que ele está internado desde a noite desta quarta-feira (14).

"O Senhor Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, foi transferido na noite desta quarta-feira para o Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, após passar por uma avaliação no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, e ser diagnosticado com um quadro de suboclusão intestinal. Após avaliações clínica, laboratoriais e de imagem realizadas, o Presidente permanecerá internado inicialmente em tratamento clínico conservador", diz o texto divulgado pelo hospital.

O presidente enfrenta um quadro de obstrução intestinal e foi transferido de Brasília para São Paulo para a realização de exames e avaliação da necessidade de uma cirurgia de emergência, que foi descartada.

Bolsonaro chegou a São Paulo às 18h54 desta quarta-feira (14), num avião da Força Aérea Brasileira (FAB), no Aeroporto de Congonhas e foi de ambulância para o hospital onde atende o cirurgião gástrico Antonio Luiz Macedo, que cuida de Bolsonaro desde a facada sofrida por ele na eleição de 2018.

Na manhã desta quarta, o presidente foi internado no Hospital das Forças Armadas, em Brasília, após sentir dores abdominais na madrugada. Segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, Bolsonaro chegou a ser sedado, mas já acordou.

Por volta das 16h30, Bolsonaro deixou o hospital e foi levado de ambulância para a Base Aérea de Brasília, onde um avião o aguardava. O presidente chegou ao local por volta das 17h, e o avião decolou às 17h29. Segundo o senador Flavio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente, o presidente ficará em observação por três dias em São Paulo.

De acordo com a assessoria do Hospital Vila Nova Star, assessores, equipes médica e de enfermagem se reuniram para avaliar os procedimentos, e uma suíte foi preparada para receber o presidente.

Em abril deste ano, Bolsonaro já havia dito que poderia passa por uma nova cirurgia em razão da facada.

De acordo com a nota oficial, a constatação da obstrução intestinal foi feita pelo cirurgião gástrico Antonio Luiz Macedo, que acompanha a saúde de Jair Bolsonaro desde o atentado a faca sofrido pelo então candidato nas eleições de 2018.

O médico foi chamado a Brasília em razão da internação do presidente e também deve ficar responsável pela avaliação do quadro após a transferência para São Paulo.

"Após exames realizados no HFA, em Brasília, o Dr. Macedo, médico responsável pelas cirurgias no abdômen do Presidente da República, decorrentes do atentado a faca ocorrido em 2018, constatou uma obstrução intestinal e resolveu levá-lo para São Paulo onde fará exames complementares para definição da necessidade, ou não, de uma cirurgia de emergência", diz a nota do Ministério das Comunicações.

No fim da manhã, o ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, havia informado que Jair Bolsonaro estava "bem" e ficaria "apenas em observação".

O perfil oficial de Jair Bolsonaro em uma rede social publicou nota na qual ele agradece as orações e disse que enfrenta um novo desafio em decorrência do atentado que sofreu na campanha eleitoral de 2018.

Por causa das dores, as reuniões de Bolsonaro nesta manhã foram canceladas. O presidente vinha se queixando nos últimos dias de soluços persistentes. Ele chegou a falar sobre o problema em transmissões ao vivo na internet.

Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário