Ministério da Educação anuncia cronograma de implementação do Novo Ensino Médio

Novo modelo valerá para escolas públicas e privadas. Implantação começará em 2022 com as 1ª séries e será progressiva. Carga horária será ampliada e haverá nova estrutura curricular.

Foto: Ascom/NE

O Ministério da Educação lançou nesta quarta-feira (14) o cronograma nacional para as ações de implementação do Novo Ensino Médio, que será a partir do ano que vem e de forma gradual.

Entre as mudanças previstas, estão a ampliação da carga horária, de 2,4 mil horas para 3 mil horas totais, e uma nova estrutura curricular.

A nova organização valerá para todas as escolas públicas e privadas do país e terá início em 2022 com o primeiro ano do ensino médio e será implantada de maneira progressiva. Em 2023, deverá ser aplicada no segundo ano. A expectativa é alcançar as três séries do ensino médio em 2024.

O ensino médio passará a ser estruturado em dois grandes blocos:

Currículo geral básico: que tem como referência a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e define competências e habilidades para quatro áreas do conhecimento (Linguagens e suas tecnologias, Matemática e suas tecnologias, Ciências da Natureza e suas tecnologias e Ciências Humanas e Sociais Aplicadas)

Itinerários formativos: que oferecem a possibilidade de o estudante se aprofundar em uma ou mais áreas de conhecimento e/ou na formação técnica e profissional.

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), usado no processo seletivo para o ingresso em diversas universidades, também será atualizado. A aplicação conforme as diretrizes será em 2024.

O cronograma apresentado pelo MEC prevê a instituição de:

Calendários para ampliação da carga horária para 1.000 horas anuais nas unidades escolares de ensino médio;
Prazos para a implementação dos novos currículos, alinhados à BNCC e aos itinerários formativos;
Cronogramas referente aos materiais e recursos didáticos, via Programa Nacional do Livro Didático (PNLD);
Atualizações das matrizes do Ensino Médio em Tempo Integral (EMTI);
Atualizações do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB);
Atualização do novo Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM).

A lei que estabelece a reforma do ensino médio foi sancionada em 2017, no governo Michel Temer, mas até agora o Ministério da Educação não tinha definido um cronograma de implementação. Uma portaria com essa programação foi publicada na edição desta quarta do "Diário Oficial da União".

Na cerimônia de lançamento do cronograma, o ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse que não "estava criando nada", mas "cumprindo o que foi feito no passado" por outro governo. Ele ressaltou que a área de educação é algo de médio e longo prazos.

"Esse novo ensino médio me traz esperança. (...) Nós temos um compromisso. E educação é sempre médio e longo prazo. Nada curto prazo. Então, o que nós estamos fazendo hoje vai refletir lá na frente", afirmou o ministro.

De acordo com Ribeiro, o governo federal investiu mais de R$ 70 milhões nas Secretarias de Educação para a readequação dos seus referenciais curriculares e para a formação de profissionais de educação. "Já promovemos o repasse para mais de 4 mil escolas-piloto, totalizando R$ 360 milhões em apoio financeiro", disse.

Logo no início do evento, Ribeiro, que é pastor, fez uma oração pelo presidente Jair Bolsonaro, que sentiu dores abdominais na madrugada desta quarta e foi para o hospital fazer exames. Com isso, a agenda de Bolsonaro, que incluía participação nesse evento do MEC, foi cancelada.


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário