MEC anuncia prorrogação das inscrições do Sisu até a próxima quarta-feira

Encerramento do sistema seria às 23h59 desta sexta (9). Ministro disse que prazo foi estendido para atender demandas dos estudantes. Pelo segundo ano consecutivo, processo do Sisu é alvo de reclamações por "dupla classificação".

Foto: Divulgao

O Ministério da Educação anunciou a prorrogação das inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para a próxima quarta-feira (14). O sistema se encerraria às 23h59 (horário de Brasília) desta sexta (9). A data de divulgação dos resultados também foi transferida da próxima terça (13) para a sexta (16).

Na edição extra do Diário Oficial da União constava domingo (11) como prazo final. O G1 entrou em contato com o MEC, que esclareceu ter havido um erro na publicação do DOU.

Neste ano serão ofertadas 209.190 mil vagas, distribuídas em 5.685 mil cursos de graduação. Veja o site do Sisu. Assim, o cronograma ficará da seguinte forma:

encerramento das inscrições: quarta (14)
resultados: sexta (16)
matrículas: de 19 a 23 de abril
lista de espera: de 16 a 23 de abril

A pasta não explicou o motivo para a extensão do prazo em nota divulgada no site, mas post do ministro no Twitter (ver acima) menciona que foram "sensíveis às demandas dos estudantes".

Pelo segundo ano consecutivo, candidatos reclamaram de um sistema introduzido pelo MEC que infla temporariamente as notas de corte e foi chamado de "dupla classificação" ou "nota fantasma". Nesta sexta, dois deputados federais entraram com representação no Ministério Público Federal contra esse modelo.

Funciona da seguinte forma:

O Sisu é um sistema que usa as notas do Enem para que candidatos tentem uma vaga nas universidades públicas brasileiras

Durante os 4 dias em que o Sisu fica aberto para inscrições, os estudantes podem mudar livremente as duas opções de curso universidade que indicam em seu perfil (embora, ao final, a matrícula será feita em apenas uma delas)

O sistema é frequentemente comparado a um leilão. A pontuação dos candidatos que se inscrevem em um curso vai determinar a nota de corte

Ou seja, nesse período de 4 dias, a entrada de candidatos com pontuações altas pode alterar a lista de aprovados de uma hora para outra e, consequentemente, a nota de corte

Até 2020, a concorrência pelas vagas só levava em conta a primeira opção assinalada pelo candidato. No Sisu passado, um novo modelo começou a computar na disputa por vagas as duas opções indicadas

Mas, como explicado antes, a matrícula só pode ser feita em apenas uma opção de curso universidade. Dessa forma, o desempenho no Enem de um candidato pode inflar artificial e temporariamente as notas de corte - já que uma das escolhas do aluno não valerá com o fechamento do sistema

A manutenção do sistema de "dupla classificação" fez com que as queixas se repetissem neste ano. Candidatos questionaram se a nota de corte visualizada era "real".

Para concorrer às vagas do Sisu, o candidato não pode ter zerado na redação do Enem e não pode ter prestado o exame na condição de treineiro.

O MEC disponibiliza o telefone 0800-616161 para dúvidas dos candidatos.

Por causa da pandemia, o Enem 2020 foi adiado de novembro para janeiro, e as notas foram divulgadas no final de março último. Isso fez com que o governo também adiasse o período de inscrições do Sisu para que a nota do Enem da edição mais recente pudesse ser usada.

O Sisu foi aberto em março para consulta. O candidato podia saber o número de vagas por curso e as regras de cada universidade — como as notas mínimas exigidas ou o regulamento para cotas sociais.

Outros programas de acesso ao ensino superior, como o de bolsas em universidades privadas (Prouni) e o de financiamento de mensalidades (Fies), abriram inscrições em janeiro e a seleção ocorre por meio da nota de edições anteriores do Enem. As inscrições para o Prouni e para o Fies já foram encerradas.


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário