STJD determina portões fechados em jogos que tiverem torcida única pedida por MP estadual

Com a decisão, o Ba-Vi programado para o próximo dia 8 de fevereiro, pela Copa do Nordeste, será afetado

Foto : Lucas Melo/AGBA Press

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) determinou que as partidas que tiverem torcida única pedida pelos Ministérios Públicos dos estados sejam realizadas com portões fechados. A medida foi divulgada hoje (30) pelo órgão, com base numa ação de torcida única na partida entre Palmeiras e Flamengo, no segundo turno do Brasileirão 2019. O clube carioca cumpriu o regulamento, cedendo 10% dos ingressos para os paulistas no primeiro turno, mas não obteve o mesmo tratamento no jogo do turno seguinte. Devido a decisão da CBF, o rubro-negro entrou em ação na Justiça Desportiva.

Com a decisão, o Ba-Vi programado para o próximo dia 8 de fevereiro, pela Copa do Nordeste, será afetado, já que os clássicos na capital baiana acontecem com torcida única. A primeira vez que a torcida única foi instalada ocorreu após o Ba-Vi do dia 9 de abril de 2017, quando o torcedor Carlos Henrique Santos de Deus foi morto após a partida nas proximidades da Arena Fonte Nova. As duas torcidas voltaram a frequentar o estádio em 2018, mas o MP-BA voltou atrás e recomendou novamente a torcida única. 

Mesmo com a recomendação, o Ba-Vi voltou a ter um clássico com duas torcidas em fevereiro de 2018, no Barradão, pelo Campeonato Baiano. Para esta temporada, a recomendação do órgão segue mantida.

No julgamento realizado nesta quinta-feira, o tribunal acatou o pedido do Flamengo, pois, de acordo com o levantamento feito pelo STJD, as vezes o Ministério Público age a favor do time local, sem saber o tamanho da consequência para o time visitante.

A avaliação do advogado do rubro-negro, Michel Assaf Filho, é de que a nova decisão pode fazer com que diminua o número de pedidos do MP por jogos de torcida única. "Agora, com o Ministério Público sabendo de antemão que a Justiça Desportiva vai determinar portões fechados quando a determinação for de torcida única, pode ser que eles pensem duas vezes antes de agir assim", disse o advogado.



Informações Metro1 

Compartilhe

Deixe seu comentário