Estima-se que 20 mil flamenguistas desembarquem em Lima até sábado para final da libertadores

A torcida do River Plate também está presente, em todos lugares é possível encontrar argentinos, mas a sensação é que os brasileiros estão em número bem maior.

Foto: Divulgação

Mas pode chamar de pedacinho do Brasil. A capital peruana foi invadida por rubro-negros e, pelo menos até o fim de semana, a cidade ganhou ares de Rio de Janeiro. Rodas de samba, gritos de Flamengo e vermelho e preto por todos os cantos. Estima-se que 20 mil flamenguistas desembarquem em Lima até sábado.


Uma onda rubro-negra tomou conta do Peru. A torcida do River Plate também está presente, em todos lugares é possível encontrar argentinos, mas a sensação é que os brasileiros estão em número bem maior. A previsão é que ainda cheguem muitos torcedores até sábado. Estima-se que cerca de 20 mil flamenguistas estarão na capital peruana no dia da decisão.

Ainda não há números oficiais, mas, além de esgotar os 12.500 ingressos destinados para a torcida do Flamengo, cerca de 65% dos ingressos para o setor misto foram vendidos para brasileiros. Os argentinos compraram pouco mais de 30%, e o restando ficou com os peruanos.

Mas não é preciso números para notar a invasão rubro-negra. Em frente ao Parque Keneddy, ponto turístico da capital, uma enorme bandeira do Flamengo foi estendida. O local virou uma espécie de concentração de rubro-negros. Há rodas de samba em alguns pontos da cidade.

Na região Larcomar também há uma enorme concentração de rubro-negros. Ao longo da quinta-feira, muitos desfilavam o rubro-negrismo pelas ruas, três deles com máscaras de Gabigol, Bruno Henrique e Jorge Jesus. Houve um encontro amistoso com torcedores do River Plate, as torcidas soltaram a voz e duelaram para ver quem cantava mais alto. Com clima muito leve, não houve registro de tumulto.

Obviamente, os torcedores do Rio de Janeiro são a maioria, mas há rubro-negros de todos os cantos do Brasil em Lima. Na porta do CT da Federação Peruana, onde o Flamengo treinou na manhã de quinta, um grupo com torcedores de Santa Catarina e Acre ilustrou bem a situação. Um outro grupo, com amigos do Tocantins, conseguiu acompanhar a atividade de uma laje, próxima ao campo.


Informações G1

Compartilhe

Deixe seu comentário