Mecânico é assassinado e polícia investiga pichação com sigla de facção

Edilson Souza foi assassinado com vários tiros, na manhã desta sexta-feira (08), por volta das 10h30, na 1ª Travessa Várzea Alegre, no bairro Sítio Matias.

Foto: Divulgação

Policiais do Serviço de Investigação da Delegacia de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), sob o comando do delegado Luiz Filgueiras, estrão investigando o homicídio que vitimou Edilton Souza Silva, de 24 anos, tenha relação após a vítima ter apagado uma pichação na parede de sua oficina com a sigla de uma nova facção criminosa de Feira de Santana.

Edilson Souza foi assassinado com vários tiros, na manhã desta sexta-feira (08), por volta das 10h30, na 1ª Travessa Várzea Alegre, no bairro Sítio Matias em Feira de Santana, quando trabalhavam no interior de sua oficina. A vítima residia na mesma travessa onde o crime ocorreu.

Segundo informações, o mecânico estava trabalhando, quando um criminoso montado numa motocicleta de cor preta e demais dados ignorados, se aproximou, desceu, sacou a arma da cintura, invadiu o estabelecimento comercial e deflagrou os tiros. 

Ainda de acordo com a polícia, quando uma guarnição da 65ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), chegou ao local e questionou o que teria acontecido, mas ninguém falou nada, como sempre, nesses crimes, a lei do silencio prevalece. 

Luiz Filgueirasr contou que obteve informações no local, que na porta da oficina de Edilton foi pichado recentemente com as letras N e C que correspondem as iniciais de uma nova facção que surgiu em Feira. Ela é identificada como “Novo Comando”. 

“O mecânico teria apagado a pichação com uma nova pintura na porta e em um muro. Familiares disseram que ele era trabalhador e que nunca foi preso. Temos essa informação da pichação e as investigações vão dizer se foi esse motivo ou não do assassinato”, finalizou o delegado.

Compartilhe

Deixe seu comentário