Em liberdade, Lula agradece a militantes e critica Lava Jato em discurso

Ex-presidente fez críticas ao que chamou de 'lado podre do Estado brasileiro, da Justiça, do Ministério Público, da Polícia Federal e da Receita Federal'.

Foto: Giuliano Gomes/PR Press

O primeiro discurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva após deixar a carceragem da Polícia Federal em Curitiba, nesta sexta-feira (8), seguiu a tônica que o acompanhou durante toda a história política do petista: linguagem popular, tiradas humorísticas, recados a adversários políticos e muitos afagos à militância. 

O ex-presidente reuniu uma massa de apoiadores que aguardavam a saída dele – alguns deles acampados desde abril de 2018. Lula utilizou a retórica típica dele para apresentar os planos que tem para o futuro. Após deixar a Superintendência da Polícia Federal, Lula segue para uma mobilização na sede do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo.

O novo liberto não poupou críticas ao principal adversário político do petismo no atual contexto, o presidente Jair Bolsonaro. Acusou o atual chefe do Executivo de “mentir no Twitter” e de ter ganho uma eleição sob o espectro de informações falsas. O ex-presidente agradeceu com os apoiadores e fez um enfoque em lideranças como Fernando Haddad, que o substituiu durante a corrida eleitoral de 2018 – o PT tentou manter Lula como candidato até o início de setembro daquele ano, porém o enquadramento com a Lei da Ficha Limpa colocaria a candidatura em risco.

Além de Bolsonaro e do governo federal, cujas ações foram criticadas com base no noticiário, o petista atacou ainda o ex-juiz Sérgio Moro, atual ministro da Justiça e Segurança Pública. Partiu de Moro a condenação inicial no caso do tríplex do Guarujá que resultou na prisão do ex-presidente, depois que o Tribunal Regional Federal da 4ª Região confirmou a sentença.

 
Informações Bahia Notícias 

Compartilhe

Deixe seu comentário