Pós caso Moro, especialista em inteligencia artificial fala sobre segurança de dados na internet

Foto: Bom Dia Feira

O programa Bom Dia Feira desta sexta-feira (05), recebeu o especialista em inteligência artificial e atendimento digital, Diego Freire. 

O especialista falou a respeito do aplicativo telegram que ganhou notoriedade nas últimas semanas após notícias envolvendo o atual ministro Sérgio Moro. 

Segundo Diego, o Telegram é um aplicativo seguro, mas as pessoas têm usado o meio de forma despreocupada, "Várias pessoas usam as redes separando alguns tipos de assuntos, falam com família e amigos pelo WhatsApp e sobre negócio via telegram. As ferramentas têm hoje grandes sistemas de segurança, mas as vezes nós usuários, por ignorância ou por não saber daquele recurso acaba não habilitando”, afirma. 

Para ele, um dos grandes desafios da tecnologia atualmente não é nem o próprio dispositivo, mas sim os usuários utilizarem da forma certa.

Tecnicamente falando, Diego considera o WhatsApp mais seguro que o Telegram, "No WhatsApp, as informações ficam no dispositivo porque não usa a nuvem, a internet para armazenar as informações, usa-se somente para trafegar e para alguém invadir, ela tem que ter acesso ao dispositivo e conseguir acessar sua conta. Já no telegram, todas as informações estão armazenadas em nuvem e se conseguir ativar o seu aplicativo em outro dispositivo, é possível ter acesso a todo o histórico de informação", ressalta, exemplificando que o telegram pode ser utilizado em mais de um dispositivo ao mesmo tempo, já o WhatsApp no máximo em dois dispositivos.

Sobre o caso Sergio Moro, Diego diz que as informações ainda estão obscuras, mas opina, "Fazendo uma análise, a única possibilidade de invasão ao telegram, ou até o próprio WhatsApp é via uma espécie de engenharia social, uma pessoa próxima a quem foi invadida manda um código de segurança e tem acesso a conta. Ou o juiz deixou o telegram aberto em algum computador que não era dele ou alguém próximo a ele conseguiu enviar esse código e ativar em outro dispositivo", conta. 

Ultilizar senha de segurança para bloquear sua tela e habilitar o uso de senha de segurança de dois fatores para acessar aplicativos de mensagem são alguns dos cuidados sugeridos pelo especialista para se manter seguro na internet, "Quanto mais dispositivos você está utilizando mais vulnerável você fica. Tem pessoas que colocam senhas como data de nascimento, uma informação fácil de se encontrar na internet, ou colocam nome do seu filho, ou 123456. Ás vezes tem um jogo que você baixa e ele pede seu nome e senha de acesso, tem pessoas que tem senha padrão e colocam senha a mesma que usa em tudo. Todo aplicativo que você acessar, crie uma senha exclusiva pra ele, assim o possível invasor terá mais dificuldade para ter acesso", diz Diego. 

Compartilhe

Deixe seu comentário