Para prefeito Colbert Martins, Feira vive duplicação necessária para melhoria de tráfego

Foto: Joaquim Neto/Bom Dia Feira

Na manhã desta segunda-feira, (17), o repórter Joaquim Neto conversou com o prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins e o secretário municipal de planejamento, Carlos Brito, sobre o início das obras de duplicação dos viadutos que ligam a Avenida Noide Cerqueira a Avenida Getúlio Vargas, e também a Avenida Fraga Maia a Avenida Maria Quitéria. 

Segundo o secretário, a obra é necessária para melhorar a fluidez do tráfego naquelas regiões, "Vai melhorar a situação daquele estrangulamento que a gente enfrenta hoje na Avenida Artêmia Pires, já que você vai ter duas pistas a mais, então aqueles engarrafamentos que estava tendo pela manhã e no fim da tarde, passa a deixar de existir", afirma, lembrando que quando o viaduto da região foi construído, alguns anos atrás, aquela região não tinha Noide, "Foi feito um equipamento para atender a região do Sim, e aquele cruzamento estava tendo muita morte, o governo fez uma pesquisa, ali era onde tinha menor fluxo, mas entendemos que a vida é importante, o prefeito, na época, José Ronaldo, fez esse viaduto e hoje na avaliação do prefeito Colbert nós precisamos ampliá-lo para melhorar a mobilidade da comunidade", informa, Carlos. 

O recurso para a iniciativa veio de uma operação da prefeitura correspondente a R$ 100 milhões, sendo que foi aplicado R$ 60 milhões na requalificação do centro e R$ 40 milhões para fazer projetos de ampliação dos viadutos, “Eu acho importante que Feira tenha a duplicação desses viadutos, a gente alargando não vai resolver o problema todo, mas já melhora. Com a passagem do BRT aí sim a dificuldade é grande, então queremos amplia-lo. Esses viadutos já estão na faixa de 10 anos, então, queremos também, contratar uma empresa pra fazer um plano de manutenção permanente", ressalta o prefeito, Colbert Martins. 

O prefeito ainda relata que não será necessário ocorrer desapropriação para execução da duplicação dos viadutos, "Só na João Durval que não pode duplicar o viaduto, ele esta exatamente dentro da caixa da rua, não tem mais espaço, a solução de lá terá que ser outra. Se tiver que ter viaduto, será em outro lugar, não alí. Na BR 116 norte, a previsão é que nós tenhamos viaduto, por exemplo, na frente da universidade e no contorno do Sobradinho, pelo menos dois", conta, ressaltando que Feira de Santana vive a duplicação e que tal progresso deve ultrapassar essa localidade através de viadutos ou de passagens de nível. 

Para o secretário, em novembro a obra pode já estar sendo contratada. 

Na ocasião, o prefeito Colbert, ainda comentou sobre documento assinado hoje, que credencia a defesa civil do município a receber novos carros pipas, "Estamos conseguindo quatro novos veículos com o governo do estado, temos quatro atualmente, dois do exército, dois da prefeitura, agora vamos para oito, se tiver seca espero que possamos atender melhor as pessoas", conclui. 



Informações Joaquim Neto 

Compartilhe

Deixe seu comentário