Barraqueiros flagrados explorando o trabalho infantil não participarão da próxima licitação

Joaquim Neto

O secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Edson Borges afirmou que na micareta existiram ações no sentido de punir a exploração do trabalho infantil no circuito. 

Segundo ele, a Secretaria de Comunicação vem fazendo uma campanha a pedido da Ministério Público do Trabalho e, conforme determinação das promotoras, diferente dos últimos três anos em que o trabalho foi de conscientização, neste ano não haveria permissão e sim punição nos casos detectados. 

Foram flagrados sete casos de trabalho infantil em barracas da Micareta 2019. "Esses barraqueiros foram notificados e por determinação do Ministério Público do Trabalho e não vão poder participar da licitação do ano que vem. Nós temos todos os dados então é muito fácil impedir", informou o secretário sobre as medidas.   


Informações de Joaquim Neto

Compartilhe

Deixe seu comentário