Chocolate pode ser um ótimo aliado da saúde

Benefícios da guloseima estão associados aos flavonoides, substâncias com propriedades antioxidantes e responsáveis pela sensação de prazer e saciedade

Simão A Eugster/Wikipedia/Reprodução

Quem não resiste ao bom e conhecido chocolate? Com a Páscoa chegando, os mercados estão lotados de chocolates de diferentes tamanhos e formatos. Seja ao leite, amargo, branco, diet ou com oleaginosas, há chocolate para todos os gostos. A angiologista Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, afirma que o consumo de chocolate está relacionado a vários benefícios para a saúde. “Desde melhora da função cardiovascular e controle da pressão arterial, dos níveis de colesterol e da ansiedade até melhora de doenças degenerativas, como o Alzheimer, segundo pesquisas”, comenta.

Porém, Aline Lamaita explica que o chocolate precisa ter pelo menos 70% de pó de cacau para ter as quantidades de nutrientes benéficos para a nossa saúde. “Por isso, o chocolate amargo é o queridinho do nosso coração”, exalta a angiologista. Ela explica que o chocolate ao leite, o preferido das crianças, além de ter quantidades menores de pó de cacau, tem adição de açúcar, gordura hidrogenada e leite. Sendo assim, além de estar mais pobre em nutrientes, traz consigo adição de alguns ingredientes não favoráveis à saúde, e “seu consumo deve ser bem mais regrado”. 

O chocolate amargo é rico em uma substância chamada epicatequina, da classe dos flavonoides, que tem grande poder antioxidante e está relacionada com o poder que eles têm de combater os radicais livres, vilões para o envelhecimento celular. “Dessa forma, o consumo de flavonoides está relacionado ao combate dos processos oxidativos celulares, prevenindo o câncer, a formação de placas de colesterol, diminuindo o processo inflamatório da parede dos vasos, o que causa vasodilatação nas artérias e favorece o controle da pressão arterial”, explica. O consumo de flavonoides pode ser apontado como um bom aliado para a prevenção do infarto e do derrame. 

O nutrólogo César Nogueira esclarece que os flavonoides presentes no cacau e seus efeitos antioxidantes ajudam no controle do colesterol. “Ele atua na redução do mau colesterol, o LDL, e no aumento significativo do bom, o HDL”, conta. O nutrólogo frisa que é recomendada uma porção diária de até 30 gramas. 

Além dos flavonoides, o chocolate contém triptofano, gorduras poli-insaturadas e vários micronutrientes, como zinco, cálcio, magnésio e potássio, essenciais para o bom funcionamento do nosso organismo. A angiologista lembra que, na saúde, não existe alimento vilão ou mocinho, tudo pode ser consumido, desde que de maneira moderada. “Apesar de ótimo para a saúde, mesmo o chocolate amargo deve ser consumido com moderação”, conclui.  

» Chocolate X TPM 

O chocolate é rico em triptofano, substância essa que no nosso organismo é utilizada para produzir serotonina, considerada o hormônio do prazer. Sendo assim, seu consumo pode melhorar a ansiedade, o que explica por que muitas mulheres sentem a necessidade de consumir chocolate no período de TPM. 

» Chocolate X acne

O cacau não causa espinha. Ele é um poderoso antioxidante e ajuda a promover luminosidade e hidratação. Os flavonoides contêm propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias. Auxiliam na proteção aos danos dos raios UV, previnem rugas e combatem os radicais livres, ajudando a deixar a pele mais brilhante e saudável. 

CONHEÇA OS TIPOS DE CHOCOLATE E SUAS PROPRIEDADES 

» Ao leite: sem quantidade significativa de cacau, o chocolate ao leite não traz benefícios à saúde; os exageros são perigosos 

» Amargo: o chocolate com no mínimo 70% de cacau tem efeitos anti-inflamatórios, propriedades antioxidantes, atividades antiplaquetárias, com melhora da função vascular e, além disso, está ligado, segundo estudos, a uma melhora na disposição, funcionamento cerebral e redução da vontade de comer doces 

» Meio amargo: com concentração significativa de cacau (acima de 40%), esse chocolate tem mais açúcar que a versão amarga, mas também traz benefícios antioxidantes. As versões com avelã, nozes ou castanhas fornecem vitaminas e minerais importantes, que têm ação antioxidante e melhoram a circulação sanguínea 


» Branco: produzido com manteiga de cacau, esse chocolate é mais calórico e rico em gorduras. Mas, cuidado, alguns chocolates brancos nem sequer têm resquício de cacau na composição. É o menos recomendado pelos estudiosos 

» Diet: os chocolates diet também apresentam risco, pois contêm maior quantidade de gordura. Apresentam, por vezes, os mesmos ingredientes e teor calórico igual ou superior ao do chocolate ao leite

» Com oleaginosas: apesar de adicionar mais calorias ao chocolate, as castanhas, nozes, avelã e o amendoim, entre outros, são ricos em ômega 3, que favorecem o sistema cardiovascular e melhoram a qualidade da circulação, porque esse ômega diminui o colesterol ruim e aumenta o colesterol bom.

Informações UAI

Compartilhe

Deixe seu comentário