Professoras de Feira de Santana têm projeto de incentivo à leitura em escola pública

Marta e Carolina conseguiram unir professores de todas as áreas da escola para estimular os alunos a ler mais

Reprodução/TV Globo

Marta e Carolina, professoras de escola estadual pública em Feira de Santana, estiveram no programa Encontro com Fátima Bernardes, na Globo, no qual explicaram o projeto Leitura - saberes e sabores (Ceres), de estímulo e incentivo a aproximação dos alunos com o ato de ler. 

A proposta é simples: unir todo mundo na escola em prol a leitura. "A gente tinha essa necessidade porque a gente se preocupava muito com essa falta de intimidade com os livros. Porque esse aluno termina o Ensino Médio e não tem intimidade com os livros? Porque ele não gosta de ler?", apontou Carolina.

Segundo Marta, o projeto começou apenas com a disciplina de Língua Portuguesa no terceiro ano, as disciplinas de geografia e biologia. "Esse ano a gente conseguiu trazer a escola inteira, todas as três áreas num projeto interdisciplinar e transdisciplinar", relatou.

A iniciativa partiu da área de exatas. "Quando a gente viu a taxa de aprovação e reprovação no final, a gente pensou: temos 10 salas de aula, o que podemos fazer para melhorar a competência leitora desse aluno? A gente pensou nessa motivação de pedir vídeos gravados com depoimentos sobre 'porque você gosta de ler'", comentou Carolina.

A atriz Andrea Orti gravou o vídeo em resposta ao pedido das professoras, além de outros profissionais locais que surpreenderam em seus depoimentos. "É muito importante que eles percebam que sabem resolver a fórmula matemática, mas não entendem o propósito da questão que ali está formulada", identificou Marta.

As professoras se inquietaram quando o Programa de Avaliação Internacional (PISA) identificou que, em 2015, o Brasil ficou em 63º dentre 70 países. "Isso é estremamente preocupante porque são quatro níveis e o Brasil está no nível 1 - aquele sujeito que lê e não atribui juízo de valor aquilo que valor, ele não compreende então ele não julga, não consegue formular uma opinião, não separa fato de uma opinião, uma pessoa que não exerce plenamente suas habilidade", explicou Carolina.

A preocupação do projeto é oferecer gêneros diversos e espaço para que os alunos estabeleçam relação de intimidade. "Todas as áreas da escola, seja de humanas, de ciências da natureza, de exatas e de linguagem estão todas muito envolvidas nesse processo continuada", pontuou Marta.

Fátima Bernardes prometeu no programa gravar seu vídeo de incentivo. 

Compartilhe

Deixe seu comentário