O APARA-BALA

O governo  Rui Costa  espalhou outdoor's com  a máxima:  "Modelo de Gestão." Não há dúvida de que o governador Rui Costa tem sido um  exemplar sério  e honesto  gestor do nosso estado - fato  público  e notório  com atuação  em quase todos os municípios baianos, exceto   em Feira de Santana, pois  essa  máxima passa longe  deste município, considerando  que foi muito pouco o que foi feito  por Feira. Este ano por  exemplo, só o Colégio do  bairro Viveiros. Obviamente que se espera muito do governo  na maior cidade do interior, mas  as esperanças  vão se esvaindo com  o passar do tempo e com  a chegada da reta final do atual governo,  porque  lhe resta pouco tempo para dá a "princesinha" o que ela merece  como  a segunda maior cidade do estado e a  maior do interior. Não estamos vendo  indícios de ações concretas para  colocar o aeroporto João Durval no patamar exigido pela cidade, não vemos atitudes concretas para  a conclusão do Centro de Convenções, a conclusão das obras da Lagoa Grande  e nem  a recuperação do patrimônio cultural do Amélio Amorim, cuja peça principal (abóbora) está  sendo destruída pelo tempo, entre outras carências. Ate então o governo tinha Zé Neto (seu líder na Assembléia  Legislativa) como verdadeiro “apara bala”, ele hoje é deputado federal  e  não faz mais  a tarefas que fazia, que eram usar a toda hora e a todo o dia,  de forma insistente  os principais  programas de radio da cidade para rebater a saraivada  de críticas do  povo  e  com a estratégia  de falar mais do  que os comunicadores  e  não dando tempo para  contraponto. Essa tarefa Neto  sabia fazer  com maestria para defender o  governo   em Feira de Santana. Agora não  tem mais o deputado estadual pendurado nos microfones das rádios para defender o governo  e só resta ao Governo levar  rebordosa  sem ter  quem o defenda. Se o governador quiser   ganhar eleição  em Feira terá   que  “chegar chegando”  com obras em quantidade e qualidade, porque com  discurso  somente  não  vai  convencer  o eleitorado  local   e  arriscando-se  a perder  mais uma vez  a possibilidade de conquistar a "princesa do sertão". Mas  a cidade ainda espera  a reação do Estado  que adotou o slogan de "correria." Precisa  correr  mais  rápido no município.

Compartilhe

Deixe seu comentário