Atualmente, na Bahia, dentre os grandes só o Bahia de Feira possui estádio com gramado sintético

Atualmente, dois estádios baianos possuem gramado sintético: Arena Cajueiro, em Feira de Santana, de propriedade do Bahia de Feira, e o Estádio Municipal Waldetrudes Carneiro de Magalhães, em Serrolândia.

Um dos principais problemas do Estádio Adauto Moraes é o gramado, que tem sido alvo de críticas por parte de jogadores, treinadores, dirigentes e torcida. Porém, esse transtorno pode terminar em breve. O Governo do Estado da Bahia em parceria com a Prefeitura Municipal de Juazeiro estuda implantar um piso sintético na praça esportiva em 2020. O anúncio foi feito em Juazeiro, neste sábado (23), pelo secretário estadual do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), Davidson Magalhães, e pelo prefeito Paulo Bonfim (PCdoB).

Nos próximos dias, técnicos da Sudesb irão realizar um estudo no Estádio Adauto Moraes. O objetivo é saber qual o melhor tipo de grama para a praça esportiva. Caso o sintético não seja viável, a outra alternativa é implantar um piso natural ou recuperação do atual.

Presidente da Juazeirense,  o deputado estadual Roberto Carlos (PDT) se diz a favor de grama natural, mas não se opõe ao sintético. “Ainda vai ser discutido o tipo de grama. Isso vai ser avaliado após um estudo. Eu prefiro a grama natural, pois a grama sintética esquenta muito e o calor em Juazeiro é grande. Acho que a temperatura da grama iria ficar alta e prejudicaria o jogo. Mas vamos aguardar. O importante é que sejam feitas melhorias no Estádio Adauto Moraes”, disse o parlamentar-cartola, em entrevista ao Bahia Notícias.

Atualmente, dois estádios baianos possuem gramado sintético: Arena Cajueiro, em Feira de Santana, de propriedade do Bahia de Feira, e o Estádio Municipal Waldetrudes Carneiro de Magalhães, em Serrolândia.

Compartilhe

Deixe seu comentário