Frota demite assessores por discordarem de ataque a 'macumbeiros'

O deputado federal do PSL não gostou de ter sido corrigido por sua assessoria; ao final do dia mandou exonerar setes das onze pessoas que atuavam no gabinete em Brasília

Cleia Viana/Câmara dos Deputados

Começam a surgir informações sobre outros motivos que contribuíram para que o deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) tenha trocado, semana passada, sete das 11 pessoas que faziam parte da sua equipe na Câmara, incluindo o seu chefe de gabinete.

Segundo apurado na noite desta terça-feira (19), o deputado não gostou de ter sido orientado por sua assessoria técnica a não chamar de “macumbeiros” pessoas que professam a fé de matriz africana. Mesmo após os assessores terem aconselhado que a palavra “macumbeiro” era pejorativa e poderia ofender as pessoas, o parlamentar insistiu na manutenção do termo.

De acordo com a Folha, a troca de parte da equipe também se deu após a queda de quatro posições no ranking FSBinfluência Congresso, que mede a performance de políticos nas redes sociais.

O gabinete do parlamentar rebateu a informação e justificou que a troca se deu pelo fato dos servidores não terem se adequado à rotina do gabinete.

Informações da Revista Fórum

Compartilhe

Deixe seu comentário