Cadastradores e digitadores do Bolsa Família passam por reciclagem

Foto: Luis Troina

Para garantir mais eficiência e agilidade no processo de atendimento aos demandatários do programa Bolsa Família, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (Sedeso) promoveu mais uma etapa de reciclagem de cadastradores e digitadores do benefício social. Desta vez, com atualizações nas áreas de assistência social, da educação e também da saúde, que juntas formam o tripé do programa social.

São investimentos promovidos pelo Governo Municipal que, conforme o secretário de Desenvolvimento Social, Ildes Ferreira, resultam em melhorias na oferta dos serviços, que vem sendo eficientizado com a descentralização no atendimento ao público. O cadastramento, atualização e informações sobre o serviço já estão sendo feitos em todos os 15 Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) instalados em regiões estratégicas de Feira de Santana, contemplando bairros e também a zona rural.

O evento foi aberto por Ana Clara da Costa Nunes, do Núcleo de Educação Permanente e Estágio (Neper) da Sedeso. Ela abordou sobre a política de assistência e postura profissional.

A gestora do Bolsa Família, Danusa Rodrigues, observou a importância da iniciativa visando melhor qualificar os cadastradores e digitadores a partir da descentralização do atendimento nos CRAS. “O foco principal são as comunidades tradicionais, coo quilombolas, ribeirinhas e a população assistida pelo Centro Pop. Tratamos sobre transferência de famílias de municípios e também inclusão e exclusão de membros do cadastro”, destacou.

O chefe da Divisão de Informações Educacional da Secretaria Municipal de Educação, Lênio Lins, abordou sobre o sistema de presença da educação, uma condicionalidade para os menores continuarem tendo acesso ao benefício social do Bolsa Família.

Já a representante da Secretaria Municipal de Saúde, Kátia Simões, abordou sobre o sistema de acompanhamento da condicionalidade na saúde, com o acompanhamento periódico das crianças pelo serviço de saúde.

A assistente social do Bolsa Família, Tayana Loraine, e o digitador da Central do Bolsa Família, Lucas Cerqueira, também abordaram sobre peculiaridades no desenvolvimento do serviço que devem ser observadas pelos digitadores e cadastradores.

Compartilhe

Deixe seu comentário