Presos envolvidos em tentativa de feminicídio contra fisioterapeuta

Suspeito foi encontrado em Simões Filho; outros dois já estão presos, incluindo o ex-namorado

Arquivo Pessoal

Terceiro e último responsável pela tentativa de feminicídio contra a fisioterapeuta Isabela Oliveira Conde, 36 anos, Alex Pereira dos Santos, 26, foi preso por uma equipe da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam/Periperi), na tarde desta quinta-feira (14), em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador.

Ele já tinha mandado de prisão temporária em aberto. Durante a manhã, a Polícia Civil também prendeu Adriano Santos de Jesus, 29, outro suspeito de ter participado do crime, que ocorreu no dia 28 de fevereiro, a mando do então namorado da vítima, Fábio Barbosa Vieira, 37. Fábio foi preso em flagrante no dia do crime.

Segundo a titular da Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam/ Periperi), Simone Coutinho, pouco antes de ser agredida, Isabela ligou para uma amiga, e a conversa ficou gravada. No áudio, é possível ouvir a voz de Adriano ao fundo, mas ele nega o crime.

A delegada contou que os dois suspeitos moram no Alto do Saldanha. Segundo a polícia, Alex fugiu depois que soube que a vítima sobreviveu ao ataque. Ele tem passagem policial por assalto a ônibus.

“A vítima foi atacada no próprio carro, com mais de 60 golpes de faca, mas resistiu e foi socorrida para o Hospital do Subúrbio”, relembrou a delegada Simone Moutinho.

Tentativa de feminicídio

O crime aconteceu no início da noite do dia 28 de fevereiro, uma quinta-feira. Fábio foi pegar Isabela no trabalho, como já havia feito em outros momentos, e quando a vítima entrou no carro, percebeu que Adriano e Alex também estavam no veículo.

Durante o trajeto, ela foi dominada e esfaqueada com 69 golpes. O ataque terminou apenas quando Isabela se fingiu de morta. Ela foi jogada em uma ribanceira, na BR-324, socorrida por pessoas que passavam pela região e levada para o Hospital do Subúrbio. Fábio foi preso no mesmo dia, quando esteve na unidade de saúde.

Ele contou para a polícia que Adriano trabalhou como servente de pedreiro em uma obra na casa dele e que pagou R$ 500 para ele e mais R$ 500 para Alex cometer o crime. O casal começou a namorar em 2017 e tinham brigas constantes por conta dos ciúmes de Fábio.

Isabela afirmou não ter dúvida de que o namorado já tinha intenção de matá-la há tempos. “Ele já planejava minha morte. Dias antes, um rapaz entregou a ele R$ 500 referente ao aluguel de um dos meus imóveis. Perguntei sobre o dinheiro, ele negou que tivesse recebido. Acredito que ele pegou o valor para juntar para pagar aos caras para me matarem”, declarou a fisiterapeuta, mãe de uma adolescente de 16 anos e funcionária de um hospital privado na cidade.

Informações do Correio*

Compartilhe

Deixe seu comentário