Rui Costa vem à Feira de Santana para autorizar obras do HGCA 2

Reprodução




Na manhã desta sexta-feira (11), em coletiva de imprensa, o governador Rui Costa autorizou o início das obras de construção da unidade que será anexo do Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA). A coletiva de imprensa foi transmitida ao vivo por diversas rádios da Bahia.

O novo prédio que terá o nome de Clériston Andrade 2, custará o valor de  R$ 50 milhões, incluindo obras e equipamentos e oferecerá um setor de bioimagem com ressonância magnética, dois tomógrafos, raio-x, ultrassom, doppler e ecocardiograma. O mesmo salientou que a obra ficará pronta no prazo de um ano. 

Durante o evento, Rui Costa entregou ainda 21 ambulâncias para o município.

"Nessa nova unidade, vamos colocaram todas as áreas nobres do HGCA, ou seja, as áreas mais importantes. Aquelas que dizem respeito às salas de cirurgias, UTIs, alas de diagnóstico de imagem e hemorragia digestiva. O objetivo é colocar no novo prédio, todos os procedimentos mais sensíveis do hospital, ao mesmo tempo em que foi uma ampla reforma em todas as unidades, iniciando pela área que ficou disponível quando nós fizemos a transferência da maternidade para o HEC (Hospital Estadual da Criança). Faremos um investimento e essa licitação deve ser feita no mês de fevereiro. Iniciaremos uma ampla reforma do HGCA 1, e vamos colocar outros procedimentos no hospital, ampliando a oferta de leitos da unidade de ortopedia para Feira de Santana, além de ampliarmos outros serviços", explica. 

De acordo com o governador, o HGCA passará por grandes intervenções, tanto no prédio novo, quanto mas unidades antigas, que serão deformadas com a aérea administrativa relocada. "Teremos na nova unidade dois tomógrafos e uma ressonância magnética, pois hoje, o hospital usa o da policlínica", apontou.

Capacidades

De acordo com informações do gestor do estado e sua equipe administrativa, o HGCA 2 terá mais de 5,7 mil metros quadrados de área construída, distribuídos em três pavimentos e contará com 40 leitos de terapia intensiva, centro cirúrgico com 11 salas, além de um Centro de Hemorragia Digestiva. 

No novo hospital, haverá um sistema digital de integração, fazendo com que a unidade funcione sem a necessidade de utilização de papel em prontuários, fichas e cadastros. As intervenções ainda contemplarão mais de 17 mil metros quadrados de urbanização, paisagismo e praça de alimentação. 

"Voltaremos aqui em fevereiro ou março para assinar a nova ordem de serviço, que é da reforma das instalações existentes. Com um volume muito maior de procedimentos a serem realizados, procedimentos mais complwcoa e instalações mais adequadas para o maior hospital do interior do estado, menor apenas que o Roberto Santos, localizado em Salvador. Portanto, atendendo com alta complexidade a todo estado da Bahia e ao povo de Feira de Santana", concluiu.

Compartilhe

Deixe seu comentário