Governo Bolsonaro flexibiliza controle de erros e permite propagandas em livros didáticos

O edital servirá de orientação para a aquisição de obras distribuídas pelo governo a alunos do ensino fundamental das escolas públicas do país.

Divulgação

Na tarde desta terça (09), após a repercussão negativa o MEC voltou atrás no conteúdo do edital que servirá de orientação para a aquisição de obras distribuídas pelo governo a alunos do ensino fundamental das escolas públicas do país. “O ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, decidiu tornar sem efeito o 5º Aviso de Retificação do edital do PNLD 2020, publicado no dia 2 de janeiro, tendo em vista os erros que foram detectados no documento cuja produção foi realizada pela gestão anterior do MEC e envida ao FNDE em 28 de dezembro de 2018”, informou a pasta.

Ainda de acordo com o Ministério da Educação, a informação de que a atual gestão tenha promovido as alterações de “forma proposital”. 
“O MEC reitera o compromisso com a educação de forma igualitária para toda a população brasileira e desmente qualquer informação de que o Governo Bolsonaro ou o ministro Ricardo Vélez decidiram retirar trechos que tratavam sobre correção de erros nas publicações, violência contra a mulher, publicidade e quilombolas de forma proposital”, informa nota à imprensa.

O assunto foi revelado no Blog Renata Cafardo, do Estadão, nesta quarta-feira (09). O rigor que era praticado na escolha dos livros sempre foi motivo de elogio estava ameaçado, com as exigências publicadas no segundo dia do governo Bolsonaro.

Outra preocupação era que a não exigência de referências bibliográficas abriria brechas para que conteúdos que não sejam baseados em pesquisas sejam inseridos no material didático.

O texto que será revogado segundo o ministro, ainda retirava a exigência de que as ilustrações retratem “adequadamente a diversidade étnica da população brasileira, a pluralidade social e cultural do país”.

Outro trecho do edital de outubro do ano passado e que havia sido suprimido na versão atual tratava do compromisso de não-violência contra a mulher, além da promoção positiva das mulheres negras e dos povos indígenas.

Informações do Estado de Minas

Compartilhe

Deixe seu comentário