70% dos casos atendidos no CRAS e CAPS de Feira de Santana são de depressão, afirma coordenadora

Reprodução

O CRAS é  uma unidade de proteção social básica do Sistema Único de Assistência Social, que tem por objetivo prevenir a ocorrência de situações de vulnerabilidade e riscos sociais nos territórios, por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, do fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, e da ampliação do acesso aos direitos de cidadania.

Em Feira de Santana, 70% dos casos acompanhados pelo órgão são de depressão, o que, segundo a coordenadora dos CRAS do município, Ribervania Cunha, nao deveria ser. " O nosso serviço é para atendimento a pessoas que possuem transtornos severos, grave ou persistente. São essas as psicoses e a esquizofrenia. Porém, como não temos números suficientes de psiquiatras na Bahia para contemplar outros serviços, a exemplo da atenção básica,  os CAPS é que acabam fazendo esse atendimento e acompanhamento", explica.

Feira de Santana possui cinco CAPS, sendo esses, dois CAPS tipo 2, um CAPS 3, um CAPS AD e um CAPS infantil. "O CAPS AD atende pessoas que fazem uso de substâncias psicoativas. A diferença do CAPS 2 para o CAPS 3, é a existem de leitos no CAPS 3, que é aberto 24h, para pessoas que estão em crise e precisam pernoitar na unidade. O atendimento do CAPS 2 é o mesmo que o CAPS 3, porém, não existe serviço noturno", pontua.

Atualmente, existem ao todo, 28.678 pessoas cadastradas em todo o município de Feira de Santana. Sendo o CAPS Sílvio Marques, o que possui mais pessoas sendo acompanhadas, cerca de 7.375. No CAPS AD - Álcool e Drogas são atendidos cerca de 7.967 pessoas.

Ainda de acordo com a coordenadora do CRAS, o atendimento na  unidade do CAPS I, que atende crianças, o atendimento costuma ser balanceado entre meninos e meninas. "Nos outros CAPS, nós temos um número muito maior de mulheres que buscam o serviço", disse.

Quem tiver interesse em buscar atendimento em alguma unidade do CAPS, pode procurar a unidade que cobre o seu bairro, com exceção do CAPS AD e o CAPS I, que atendem a toda a cidade. "A pessoa que procura o nosso serviço, pode vir pela manhã cedo ou a partir das 13h, nós temos uma equipe multidisciplinar. Então, o profissional que é estiver no momento fará a escuta e vai criar projeto terapêutico para este paciente. O encaminhamento para o psiquiatra ou psicólogo", concluiu.

Com informações do repórter Joaquim Neto.

Compartilhe

Deixe seu comentário