Segundo perícia, pistola encontrada na casa da deputada Flordelis foi usada na morte de pastor

Crime completa um mês nesta terça-feira (16). O celular da vítima, considerado uma prova importante, ainda não apareceu.

Um exame de confronto balístico confirmou que a arma encontrada na casa da deputada federal Flordelis (PSD) foi usada na morte do marido dela, o pastor Anderson do Carmo.

O crime completa um mês nesta terça-feira (16). O celular da vítima, considerado uma prova importante, ainda não apareceu.

O resultado da perícia do Instituto Carlos Éboli confirma o resultado da perícia preliminar, feita pelos investigadores da Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí (DHNSGI), na Região Metropolitana do Rio.

A pistola 9mm foi encontrada no quarto usado por Flávio, um dos filhos de Flordelis, que está preso na DHNSGI, por suspeita de envolvimento no crime. Lucas, outro filho da parlamentar, também está preso por suspeita de participação no crime.

Os investigadores aguardam uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre de quem é a competência para investigar a parte que diz respeito à deputada e se há indícios de que houve motivação política no crime.

Só depois de a Corte decidir que será possível conseguir avançar no caso. Em 28 de junho, o Ministério Público do Rio enviou uma cópia do inquérito para o Supremo.

Uma pulseira de ouro do pastor foi encontrada depois de ter sumido após o crime. Segundo o Jornal Extra, ela estava com a joia durante um culto realizado no último dia 4, na sede do Ministério Flordelis, em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio. O reencontro do objeto também foi noticiado pelo SBT.

Em nota, a assessoria da parlamentar comunicou que foi feita uma "rearrumação interna da casa, depois da enorme desordem em que ela ficou", e a pulseira foi encontrada. Além da pulseira, nenhum outro objeto desaparecido do pastor foi encontrado, segundo informou a assessoria.



Informações G1 

Compartilhe

Comentários