Resultado de audiência entre Permissionários do Centro de Abastecimento e autoridades

De acordo o o deputado Zé Neto, a PM não deve ser responsabilizada integralmente sobre a violência na região.

Foto: Polícia É Viola

Na última sexta-feira (18), a Associação dos Permissionários do Centro de Abastecimento que trata da gestão dos comerciantes naquele entreposto comercial se reuniu com autoridades municipais e estaduais para a elaboração de soluções do local para vendedores e consumidores. A presidente da associação, Edimaria Medeiros, expõe o resultado do encontro.

“Na audiência, nós elencamos todas as dificuldade do Centro para apresentar aos órgãos responsáveis como, a segurança pública que necessita de ações mais eficientes no entreposto. A Prefeitura e Polícia Militar precisam realizar intervenções no local se fazendo mais presente”, disse a presidente Edimaria.

O deputado Zé Neto elogia o trabalho policial realizado pelo diretor da unidade militar, Delorme Martins, responsável pela segurança do centro. O deputado diz que o diretor merece uma estátua por desempenhar um trabalho complicado mesmo sem recursos suficientes para intensificar as ações no Centro.

“A audiência convocada pelo vereador Roberto Tourinho é uma manifestação sobre o sentimento da insegurança no Centro de Abastecimento, é uma situação que não é culpa somente da polícia. No local, há outros diversos problemas que contribuem para o desordenamento no entreposto para que lá está um bagunça total”, denunciou Zé Neto.

Ainda de acordo com o político, a PM não deve ser responsabilizada integralmente sobre a violência na região.

“Todos tem parte nesta situação, não só a polícia. Eu acho que tá na hora de o prefeito Colbert Martins mostrar para que veio. Tem muita coisa nebulosa no Centro de Abastecimento e não é culpa somente do Delorme”, declarou.

O comandante do CPRL, Coronel Luziel Andrade, diz que a polícia já faz um trabalho na região, mas se trata de um equipamento municipal com muitas falhas, o que resulta em uma área perigosa. No entanto, o coronel afirma que os militares intensificarão as patrulhas.

“A Polícia faz seu papel de forma satisfatória no Centro de Abastecimento. Mas, há a necessidade de que cada barraqueiro faça a sua parte, pois é um conjunto de ações que refletem no total como, o controle vendas de bebidas alcoólicas, controle de entrada e saída de pessoas, manutenção do som até altas horas, regulação do estacionamento, entre outras medidas que ajudem no trabalho da polícia”, disse o comandante.

Inaugurado em 1976, o Centro de Abastecimento teve os seus 42 anos de atividades ininterruptas passados a limpo, numa concorrida audiência pública na Câmara Municipal.

 

Compartilhe

Deixe seu comentário