Familiares e amigos de velejadores presos em Cabo Verde realizam protesto em Feira de Santana

Os amigos do pai de Rodrigo Dantas, Luis Fernando e Wilker Carneiro, explicam que manifesta√ß√Ķes est√£o sendo feitas em todos os quatro cantos do Brasil

Foto: Joaquim Neto

Na manhã deste domingo (15), amigos e familiares dos velejadores baianos Rodrigo Dantas e Daniel Dantas se reuniram em uma manifestação pedindo a liberdade dos brasileiros e contra a condenação a dez anos de prisão resultante do julgamento que ocorreu no mês passado, na Avenida Nóide Cerqueira, em Feira de Santana.

Os baianos Rodrigo Dantas e Daniel Dantas, o ga√ļcho Daniel Guerra e o capit√£o da embarca√ß√£o, o franc√™s Olivier Thomas est√£o presos na cidade de Mindelo, Ilha de S√£o Vicente, em uma pris√£o de seguran√ßa m√°xima. Eles alegam que foram v√≠timas de uma arma√ß√£o e n√£o sabiam que havia coca√≠na escondida no casco do barco.¬†


Luis Fernando e Wilker Carneiro (Foto: Joaquim Neto)

Os amigos do pai de Rodrigo Dantas, Luis Fernando e Wilker Carneiro, explicam que manifesta√ß√Ķes est√£o sendo feitas em todos os quatro cantos do Brasil. ¬ĎToda a parte n√°utica e esportiva est√£o manifestando-se para que as entidades brasileiras influenciem na decis√£o, porque eles foram presos injustamente. A Pol√≠cia Federal fez um relat√≥rio e enviou para Cabo Verde e eles n√£o acataram esse documento, alegando que o mesmo era fraude¬í, explicaram.

¬ĎEssa foi uma situa√ß√£o que tocou a todos, temos que imobilizar todo o pa√≠s para mostrar que esses meninos s√£o inocentes¬í, ressaltaram.

O ato foi replicado em outras cidades brasileiras, como, Ilhabela (SP), Jo√£o Pessoa (PB) e B√ļzios (RJ) e Salvador (BA)

Injustiça

Desde que a sentença foi proferida, as famílias dos velejadores não se conformam com a decisão. Segundo eles, o direito de defesa dos réus foi cerceado, já que as testemunhas de defesa não puderam ser ouvidas via videoconferência e foi desconsiderado o inquérito da Polícia Federal que apontava a inocência do quarteto. 

Relembre o caso

O grupo de três brasileiros e um francês foi contratado para transportar um veleiro de Salvador até a Ilha dos Açores, em Portugal, através da empresa de recrutamento e terceirização de mão de obra Yacht Delivery Company, cuja sede fica na Holanda. A embarcação pertence a um inglês, conhecido como George Saul, que só foi apresentado à tripulação na véspera da viagem. Ele está sendo procurado pela Interpol. 

O barco passou por duas fiscaliza√ß√Ķes da Pol√≠cia Federal em Salvador e em Natal, antes que deixasse o Brasil. Ao chegar na cidade de Mindelo, na Ilha de S√£o Vincente, em Cabo Verde, passou por nova inspe√ß√£o e a droga foi encontrada.


Compartilhe

Deixe seu coment√°rio