Edvaldo Lima defende obrigatoriedade de cobradores nos ônibus; 'dupla função'

Segundo o vereador em seu pronunciamento, “as empresas deverão manter em cada veículo um profissional qualificado para exercer o trabalho de cobrança de passagem, controle de bilhetagem eletrônica e liberação de catraca”, ressalta.

Reprodução

O vereador Edvaldo Lima, informou em seu discurso na manhã terça terça-feira (13), na Câmara dos Vereadores de Feira de Santana que irá fazer uma emenda ao Projeto de Lei 24/2018, no qual proíbe as empresas de transporte coletivo do município de atribuir duas funções aos motoristas rodoviários, a de motorista e a de cobrador em todos os tipos de veículos, sejam esses ônibus ou micro-ônibus, de uma ou duas portas, seja esse qualquer tipo de linha.

Segundo o vereador em seu pronunciamento, “as empresas deverão manter em cada veículo um profissional qualificado para exercer o trabalho de cobrança de passagem, controle de bilhetagem eletrônica e liberação de catraca”, ressalta.

Para o parlamentar, a substituição dos ônibus convencionais por microônibus é uma estratégia das empresas para dispensar os cobradores, reduzir custos com mão de obra e, consequentemente, acumular mais lucros e gerar mais desemprego.

“Os motoristas estão exercendo dupla função no microônibus. Olha o que estão fazendo com os motoristas, que além de se preocupar com o trânsito, tem também que cobrar passagem. Esses trabalhadores deixam suas casas às 3 horas da manhã para sair da garagem às 5 horas, chegando a encerrar as atividades lá para as 19 horas. Não tem ser humano que suporte. Esses empresários gananciosos só pensam em ter lucros”, reclamou.

Edvaldo explicou que a emenda visa proibir que os ônibus deixem as garagens sem o cobrador e convocou a SMTT (Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito) para realizar a fiscalização,  assegurando o cumprimento da determinação.

 “A população é a mais prejudicada com essa medida adotada pelos gananciosos empresários. Um microônibus chega passar de 10 a 15 minutos parado no ponto porque o motorista tem que passar troco e liberar catraca”, completou.

Compartilhe

Deixe seu comentário