Vereador João Bililiu critica 'descaso' com a Lagoa Grande e culpa o Governo do Estado

Na oportunidade, o parlamentar voltou a cobrar do Governo do Estado o término dos serviços de esgotamento sanitário nos entornos da Lagoa Grande.

Reprodução

O vereador João Bililiu, demonstrou tamanha indignação na manhã desta segunda-feira (12), em sessão na Câmara Municipal de Vereadores de Feira de Santana. Na oportunidade, o parlamentar voltou a cobrar do Governo do Estado o término dos serviços de esgotamento sanitário nos entornos da Lagoa Grande.


Mostrando fotografias tiradas no local das obras, João Bililiu ressaltou que os moradores dos entornos da lagoa estão enfrentando situações mais que desagradáveis, por conta do esgota que corre a céu aberto nas ruas dos bairros adjacentes à lagoa.

Disse também que presenciou o descaso do governo do estado com relação às obras da Lagoa Grande, além de ter pedido que o secretário de Meio Ambiente, Sérgio Carneiro, fizesse uma visita à lagoa para ver um equipamento que deveria estar sendo revitalizado.


Foto: Ed Santos/Acorda Cidade

Segundo o edil, a situação é caso de acionar o Ministério Público. “Quero lamentar, mais uma vez, o descaso do Governo do Estado com as obras da Lagoa Grande. Na quarta-feira estive no local e percebi a precariedade do esgotamento sanitário naquele local. A Lagoa Grande, quem dizem que está sendo revitalizada, está servindo de sanitário para despejo de esgoto. Os moradores estão sofrendo com essa situação”, afirmou.

O também vereador Cadimiel Pereira parabenizou o colega pelo discurso, e afirmou que o problema é grave e que o Governo do Estado quer empurrar a obrigação para o Governo Municipal, e que o Governo Municipal fez certo em não aceitar uma obra destas. “Cadê a grande obra da Lagoa Grande?”, questionou.

Ainda sobre o mesmo assunto, a vereadora Gerusa Sampaio afirma que a população entende que o município que está em falta, mas afirmou que a situação da lagoa é competência do estado.

Discordâncias

O vereador Alberto Nery lamentou que os colegas não reconheçam o benefício que o governo do estado fez na Lagoa. “Não reconhecer o benefício feito pelo Estado naquele equipamento é ingratidão. O Município deveria ter feito o plano de saneamento básico para realização do serviço de esgotamento sanitário, mas não fez. Por isso, a obra ainda não foi concluída”, informou.


Compartilhe

Deixe seu comentário