Truques para o café ser aliado (e não inimigo) da perda de peso

Aqui, listamos 4 conselhos para fazer com que as xícaras com o líquido escuro se transformem em boas amigas da dieta

Foto: Reprodução

Uma das bebidas mais consumidas no mundo e no Brasil, o café é um grande aliado para quem vive uma rotina cheia e necessita energia extra. Mas sabia que ele pode ajudar na perda de peso também? Aqui, listamos 4 conselhos para fazer com que as xícaras com o líquido escuro se transformem em boas amigas da dieta (e não inimigas):

1. Prepare seu café em casa

Pode ser tentador entrar numa cafeteria para comprar um macchiato ou um mocaccino, mas essa pode não ser a melhor ideia se você quer perder peso. Nem sempre sabemos todos os ingredientes acrescentados à bebida, o que pode deixá-la muito mais calórica. O que começa como um plano de comprar um café simples pode facilmente se transformar em um grande cappuccino com baunilha, chantilly e tudo o mais – somando cerca de 800 calorias! Por isso, preparar o café em casa pode ser uma alternativa inteligente para garantir sua bebida sem sabotar a dieta.

2. Beba apenas pela manhã

A cafeína afeta seu sono – que desempenha um papel importante no emagrecimento. Se você consumir café à tarde ou à noite, há uma boa chance de que você não consiga adormecer tão facilmente no horário adequado. Um estudo realizado pela Universidade de Chicago mostrou que a falta de sonotem muitos efeitos negativos sobre o corpo, incluindo um maior risco de diabetes e obesidade. Limitar seu café após um horário determinado (lá pelas 11h da manhã, por exemplo) pode ter uma influência positiva no seu sono e cintura!

3. Consuma 400 mg de cafeína (ou menos) para ter energia e acelerar o metabolismo

A quantidade de 400 mg de cafeína (o equivalente a duas xícaras de café) por dia  pode dar uma ajudinha na dieta. “Claro, a bebida sozinha não tem o poder de emagrecer, mas ela gera uma termogênese [aumento da temperatura corporal] que funciona como aliada”, explica Flávia Sgavioli, nutricionista funcional da Clínica Internamente, de São Paulo. De acordo com a especialista, ingerir mais do que essa quantidade – que é o máximo recomendado para a maioria dos adultos – está ligado a problemas como arritmia, irritabilidade, dor de estômago e outros sintomas negativos.

Comentários