Carlos Pitangueira afirma que planta arquitetônica do HGCE II já está sendo feita

O diretor geral do HGCE conversou também com o Bom Dia Feira, a respeito das festas de final de ano e sobre o número de acidentes com moto que ocorreram neste período.

Reprodução

O diretor geral do HGCE conversou com o Bom Dia Feira, a respeito das festas de final de ano e sobre o número de acidentes com moto que ocorreram neste período. Assim como também, revelou em primeira mão, que a planta arquitetônica do HGCE II já está sendo diagramada. Uma suposta pista de que esse possível novo hospital, já esteja perto de sair do papel.

“Em 2017 acabamos bem, o único problema é o número de acidentes de moto, que foram impressionantes. Tivemos no Natal, 54 pacientes atendidos por acidente de moto”, explica.

“Em 2018, essa reforma que sempre foi dita que disse que iria ter há 20 anos atrás, um bocado de governo não fizeram, o governo de Rui Costa como assinou ordem de serviço no ano passado, logo do final do ano as obras começaram. Agora, já está a todo vapor com a mudança da emergência para a área que ficava o CEO e a Materno”, afirma. “Vamos ter uma emergência espetacular, que o governador Rui Costa está dando de presente para Feira de Santana. Teremos aumentos em leitos de emergência, aumento de médicos e aumento de enfermeiros, técnicos e fisioterapeutas”, continua.

“A melhoria no número de atendimento aqui no HGCE, vai ser sentido quando for inaugurada a nova área do HEC. Com essa inauguração, teremos disponíveis aqui no Clériston, 40 leitos disponíveis para emergência, mais 20 leitos de UTI”, ressalta.

Na entrevista, o diretor afirma que o HGCA está preparado para receber os poli traumatizados, o mesmo aconselha que pacientes clínicos se dirijam para as policlínicas de atendimento da UPA. Pois, no atendimento dela, a possibilidade de ser transferido - se for preciso - é bem maior.

Pitangueira ainda salienta que a planta do Hospital Clériston II já está sendo feita, igual ao HGE. “Teremos dois HGCE na cidade, o HGCE I e o HGCE II, numa média de 100 a 120 leitos. Inclusive, nessa área nova, terá UTI’s, Centros Cirúrgicos e nessas situações terão mais leitos que serão usados para outras patologias”. 

Comentários