UM FORTE CANDIDATO A MENOS?

Se Jacques Wagner for candidato a presidência da república ajudaria ao prefeito de Feira

Estamos a pouco mais um mês do Carnaval, período em que o prefeito José Ronaldo disse que seria o designado por ele para  decidir qual o seu futuro político em 2018. 

Daqui até lá (Carnaval) "muita água pode passar debaixo  da ponte", principalmente porque sabe-se que  Jacques Wagner é o principal nome do PT para uma vaga ao Senado, onde o ex-governador teria grande chances devido a ter cumprido dois mandatos consecutivos o que lhe daria um "cacife" muito grande no Estado da Bahia. 

Se Zé Ronaldo deseja uma das cadeiras duas cadeiras baianas no Senado, desejo esse que ele não esconde de ninguém, os caminhos para tal poderiam, ser menos espinhosos se ocorrer o impedimento do ex-presidente Lula candidatar-se à presidência da república, sendo o dia 24 de janeiro próximo a data base (julgamento de Lula no TRF). 

Se Lula tiver os direitos políticos suspensos os indicativos seriam para o PT lançar Jacques Wagner para a presidência o qual teria como cabo eleitoral o próprio Lula que não sendo candidato, preso ou solto, seria um cabo eleitoral capaz de eleger um indicado ele, partindo do pressuposto que o ex-presidente lidera todas as pesquisas presidenciais.

Nessa hipótese, Wagner que seria candidato ao Senado, passaria a candidato a presidência da república e com isso Ronaldo se livraria daquele que hipoteticamente seria o mais provável dono de uma vaga no Senado e como princípio básico, Ronaldo teria um forte candidato a menos na sua tentativa de sentar na cadeira de senador.


Compartilhe

Deixe seu comentário