Procon dá dicas de como não cair em golpes de variação de preços em lojas

Jorge Marques, diretor de orientação ao consumidor do Procon de Feira de Santana afirma que, para que o consumidor não caia num golpe e acabe comprando um produto com um preço absurdamente caro, a primeira que coisa a se fazer é pesquisar em outros estabe

Reprodução

As perspectivas de boas vendas nas festas de fim de ano alimentam os sonhos dos varejistas e comerciantes em geral. Nesta época, mais pessoas vão às ruas com o intuito de comprar.  Segundo pesquisa recente do Procon Feira de Santana, a variação nos preços de alguns produtos usuais neste período que antecede os festejos natalinos chega a 100%.

Jorge Marques, diretor de orientação ao consumidor do Procon de Feira de Santana afirma que, para que o consumidor não caia num golpe e acabe comprando um produto com um preço absurdamente caro, a primeira que coisa a se fazer é pesquisar em outros estabelecimentos. “Todos os anos, o Procon realiza essa pesquisa de preços natalinos, em uma média de 32 a 33 itens foi encontrado uma diferença de 104% de variação de preço do mesmo produto, salientando que não foram na mesma marca”, explica.

“Variações de preços, quando são da mesma marca, são aceitáveis diferenças médias. Porém, há lojas que encontramos o mesmo produto com o dobro do preço, a mesma poderá ser notificada por ganancia, tentativa de adquirir lucro excessivo. O mesmo imposto que um estabelecimento paga, o outro paga exatamente o mesmo valor, então, não pode existir um produto com 100% de diferença de preço, sendo esse é da mesma marca e com a mesma qualidade”, afirma.

De acordo com Jorge Marques, é de suma importância, não só nesta época, como em qualquer período do ano, o consumidor não adquirir o habito de comprar na primeira loja que encontrar. A pesquisa por preços melhores e observar a qualidade do produto, é essencial para não cair em um golpe.

Outra forma de não cair no golpe dos preços abusivos, é passar todos os itens que foram colocados no carrinho de supermercado, nas maquinetas de preços que ficam disponíveis nas gôndolas dos estabelecimentos.  “Muitas empresas de departamento e muitas lojas de supermercado aproveitam esse período de movimento, colocam nas prateleiras um item com um determinado preço e, ao chegar no caixa, o consumidor não se atenta e o preço é maior. A melhor forma de economizar e fazer valer o seu dinheiro, é tendo atenção e tranquilidade na hora das suas compras”, completa.

Comentários