Em entrevista exclusiva, José Ronaldo responde questões da cidade e vida política

Em entrevista ao programa Bom Dia Feira, prefeito José Ronaldo responde perguntas da população, fala sobre seu futuro na política e muito mais

Foto: Reprodução | Vídeo

Como de costume, todo final do ano o prefeito faz o balanço das questões da cidade. E, em entrevista exclusiva ao programa Bom Dia Feira, José Ronaldo falou sobre política, saída de Fernando Torres do cenário Político e respondeu a perguntas dos ouvintes e participantes das fanpages do programa que interagiram através do facebook.

SAÍDA DE FERNANDO TORRES DO CENÁRIO POLÍTICO

"Me surpreendeu a saída dele, tem militância política, tem mandado, luta política e não é muito comum isso na vida política. Ele é um empresário muito bem sucedido, mas não dá pra saber o que se passa na cabeça dele."

NATAL ENCANTADO EM FEIRA

"É um momento importante, e esse modelo de evento chegou pra ficar, o natal mexe com a cidade. Diferente do micareta, que tem outro público, outro perfil de evento. O natal encantado leva os avós, os pais, os filhos, os netos, de um modo geral, a família, enquanto o micareta leva mais a juventude. Então esse espírito do mês de dezembro a gente leva artistas com um perfil que case as músicas com esse espírito do mês. A gente sempre muda, já trouxemos a família Lima, Vanessa da Mata, dentre outras. Gal Costa é um nome forte na MPB Brasileira, e apesar de ser um cachê considerável, não é um cachê de um Wesley Safadão. Contamos com os corais das crianças também, com ballet, orquestra sinfônica... É um investimento maior do que o do ano passado, mas não é maior do que a do primeiro ano."

SITUAÇÃO DA EMPRESA SÃO JOÃO E O BRT

"Dilson, você que é advogado, sabe mais do que eu que eu que uma recuperação judicial é um instrumento legal que uma empresa busca para se equilibrar. O BRT levará ainda, seguramente, sete meses para ser concluído. Faltam as obras das estações do transbordo, que sem elas não pode ser implantado, e duas delas deram problemas burocráticos e estão na justiça. Outra parte da obra é o túnel que também já está 75% pronto, e é uma das obras com maior engenharia que foi feita em Feira de Santana. Temos também o CCO (Centro de Controle de Operações) que está dentro de um processo de implantação. Então isso demanda um tempo. Com a recuperação judicial a empresa terá um equilíbrio e é o tempo que o BRT estará pronto. Temos um contrato assinado, e esperança de que o contrato será cumprido."

CENTRO DE CONVENÇÕES

"O estado nunca quis fazer esse centro, não vou tapar o céu com peneira, se quisesse já teria feito, são 11 anos já (nessa conversa). Se pegar o exemplo do centro de convenções de Salvador, você verá que está destruído, se o governo do estado gostasse de centro de convenções não deixaria acontecer o que aconteceu com o de Salvador. As atividades dos centros de convenções de Porto Seguro e Ilhéus é praticamente zero. Se o estado desejasse mesmo fazer, a prefeitura nunca foi empecilho. Eu sempre disse isso e não foi apenas de boca, eu oficializei, documentei e dei por escrito tudo isso que eu estou dizendo. 

Agora, é injusto em contrapartida eu pedi um terreno na usina de algodão? Que é bem menor e de valor bem menor e que está abandonada, aonde eu pudesse construir uns prédios para abrigar secretarias que hoje funciona em casas alugadas. Mas se isso é um empecilho para o centro de convenções, não tem problema nenhum, nós passamos a escritura para eles sem pegar absolutamente nada em troca."

PERGUNTA DOS OUVINTES E LEITORES NAS REDES SOCIAIS

Deivison Miranda: Bom dia" Gostaria de saber acerca da situação da saúde mental em Feira de Santana, ainda no modelo hospitalocêntrica e sem avanços da rede de atenção psicosocial, sendo os CAPS, NASF's e leitos em hospitais gerais insuficientes para o porte da cidade.

"Isso não é uma política de Feira de Santana, é uma política nacional. Organizada, planejada e executada com os municípios, mas com base nas leis determinadas pelo ministério da saúde, não temos poder de mudar isso. Temos hospitais psiquiátricos em toda Bahia, exemplo do Lopes Rodrigues em Feira de Santana, que há médicos que defendem o fechamento do órgão. Mas houve uma decisão judicial para que isso não ocorresse, então nós fazemos nossa política com o que cabe a gente. Eu vejo pouca crítica no atendimento nesses órgãos, nunca teremos aprovação de 100%, mas a grande maioria aprova."

Lucas Miranda: Porque está sendo utilizados meio-fio velho e quebrado no canal do Villa Olímpia?

"Não existe isso, a pessoa que falou isso está mal informada e não deve ter participado das reuniões que tivemos com os moradores, e tudo que conversamos com os moradores está sendo cumprido. Tivemos um amplo debate com a comunidade e foi dito que com a construção dos túneis teríamos bastante terra para jogar no local que ele tá falando (Lucas Miranda), mas a quantidade não seria suficiente, então colocamos em votação para saber se poderia usar entulho da cidade para ajudar a fechar todo aquele canal, e foi aprovado por unanimidade pelos morados. Algumas pessoas desavisadas e inconvenientes, jogavam materiais que não poderiam jogar no canal, mas a maioria esmagadora desse material nós recolhemos. Já estamos quase concluindo, já publicamos uma licitação para fazer a iluminação ao redor de toda essa área e vamos iniciar um plantio de árvores. E futuramente quando compactar todo o canal, construiremos quadras ou o que os moradores quiserem."

Welson Santos: Quando será feito o saneamento básico da Rocinha?

"Isso não depende da prefeitura. O que estamos fazendo para ajudar é o seguinte: 

A lagoa grande, que é um trabalho do governo, não foi concluída. O governador me perguntou um dia se a prefeitura receberia a lagoa grande para fazer o trabalho de manutenção, assim como fazemos na Noide Cerqueira e em outros locais, eu respondi que sim. Mas que para a prefeitura receber, o trabalho teria que está 100% concluído, coisa que não está. Aquela água é 100% contaminada, se alguém entrá ali terá problemas sérios de saúde. Recentemente fizemos uma experiência, colocamos uma espécie de limpa fossa sugar a água da rua e conseguimos, mas isso foi as 9h da manhã, as 17h a lagoa já estava tinha tomado toda a rua de novo, alagada. Então aquele obra é impossível da prefeitura pegar antes do governo terminar o esgotamento sanitário. Portanto ao ouvinte eu respondo que enquanto não acontecer essa obra que é responsabilidade do estado, não poderemos mexer nisso.

Ouvinte não identificado/participação via WhatsApp: Veja com o prefeito sobre a necessidade da duplicação da Artêmia Piris

"Antes não havia necessidade de duplicação, quando a demanda aumentou os condomínios já estavam construídos, o que torna muito difícil a duplicação, mas com o passar do tempo as pessoas que estão comprando terras e construindo os condomínios, já estão deixando com um recuo, então no futuro, da FTC em diante, a tendência e fazer uma segunda pista. Mas enquanto isso não acontece, estamos dando opções alternativas. Como exemplo, a rua Tobias Barreto, hoje em dia a ida para o contorno só é para quem for conveniente ir no contorno. Hoje a maioria esmagadora entra pela avenida Fernando Pinto, que estamos duplicando, falta apenas um trecho de aproximadamente 150m, que só não fizemos ainda por falta de uma decisão da justiça, que deve sair brevemente. 

"Confira o restante da matéria no vídeo ao vivo da entrevista na íntegra, clicando aqui:

Comentários