Dr Rafaelly Neves Pissiguini, fala sobre HPV em Feira de Santana

Na Bahia, índice da doença subiu 70%

Foto: Marcelo Fernandes

Em entrevista ao repórter do Bom Dia Feira, Marcelo Fernandes, a Drª Rafaelly Neves Pissiguini alerta as pessoas sobre a doença sexualmente transmissível DST, confira:

Aumento de casos

Infelizmente têm aumentado muito, e o estado da Bahia foi um dos lugares que mais incidiu esse aumento, cerca de 70%. (Número altíssimo)

Atinge todos, mas os jovens...

O HPV é uma doença que atinge a todos sem distinção alguma, mas a incidência nos jovens têm sido alarmante, pelo simples, porém grave, fato de que não usam o preservativo. E  basta um único contato para a doença ser transmitida.

Formas de manifestações e gravidade

A manifestação mais comum do HPV é a verruga, mas não necessariamente aparecem, e isso é preocupante, já que, quando não aparece e há o vírus, geralmente se identifica como uma pequena ferida, que pode se tornar uma lesão grave, correndo o risco até mesmo de se transformar em um câncer.

Há dois tipos de HPV, o de alto risco e o de baixo risco. O de baixo risco é justamente essa questão da verruga, que pode ser tratada com terapias, um tipo de ácido específico que o médico(a) ginecologista ou o(a) urologista irá passar, tratamento a laser, e a depender do tamanho que está, até mesmo cirurgia.

O segundo tipo, é a questão da lesão, justamente pelo seu grande risco de virar um câncer, lembrando que pode surgir com apenas uma manifestação simples e posteriormente virar uma manifestação de alto risco.

"Recomendamos que todas as relações sexuais, até mesmo aquelas dentro de um relacionamento longo, devem usar preservativos, recomendamos também que façam exames anualmente, prevenir é sempre o melhor remédio"

Comentários