Bom Dia Agora por Dilson Barbosa

Curta nossa página no Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram
Dólar R$ 3,182
Euro R$ 3,460
27 de abril de 2017
TODAS AS NOTÍCIAS ›

Brasil
Governo tenta minimizar efeitos da carta enviada pelo papa Francisco

19/04/17 às 18:39
Para o Palácio do Planalto, recusa do chefe da Igreja Católica em vir ao Brasil não representa um sinal de desaprovação à gestão Temer
Aumentar Fonte Diminuir Fonte
Governo tenta minimizar efeitos da carta enviada pelo papa Francisco

A recusa do papa Francisco em vir ao Brasil foi minimizada pelo Palácio do Planalto nesta quarta-feira (19). De acordo com fontes próximas ao presidente Michel Temer, a carta enviada pelo chefe da Igreja Católica a Brasília, declinando de convite para visitar o país, não sinaliza uma suposta desaprovação ao governo brasileiro. Segundo esses interlocutores, o pedido do pontífice para que seja dada mais atenção aos pobres teria deixado o chefe do Executivo “feliz” por ir ao encontro de suas metas em relação à população brasileira.

O papa Francisco foi convidado pelo governo Temer para participar, em outubro, das comemorações alusivas aos 300 anos da aparição da padroeira Nossa Senhora Aparecida no Brasil. A recusa já havia sido comunicada ao Planalto por intermédio da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), segundo funcionários da Presidência.

“Ao ler a carta, Temer ficou feliz e viu que a mensagem do Papa coincide com o que ele tem feito no governo”, disse o deputado Arthur Maia (PPS-BA), em referência ao pedido do pontífice em relação aos pobres.

Doria – De passagem pelo Vaticano, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), reforçou nesta quarta-feira o pedido do governo brasileiro ao Papa. Após assistir à audiência geral de Francisco, o tucano disse que tentou convencer o líder religioso a mudar de ideia. “Ofereci a camisa da seleção brasileira assinada por todos os jogadores ao Santo Padre e disse que gostaria de pedir, em nome do povo brasileiro, que ele revisasse sua decisão de não ir ao Brasil em outubro”, contou Doria à imprensa após o encontro.

“Ele respondeu que sabia da importância do evento, mas que era ‘difícil’. Eu rebati que ‘difícil não é impossível’, pois são 130 milhões de católicos no Brasil que vão saudá-lo”, disse o prefeito de São Paulo. “O Papa respondeu sorrindo: ‘vamos ver, mas o Brasil terá sempre minhas bênçãos'”.

Maior país católico do mundo, o Brasil recebeu uma visita de Francisco em 2013, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Com informações da agência ANSA.

bahia.ba

Tempero do Baiano

Comentários

Leia Mais

TVAgora

Incêndio atinge apartamento de prédio no Corredor da Vitória, em Salvador

mais vídeos ›