BANQUETE MIDIÁTICO

Controvérsias e polêmicas marcam determinação judicial para soltura do ex-presidente Lula

Ninguém tem mais dúvida que a justiça brasileira está "enferma" a  partir dos acertos e desacertos do STF e agora dos desembargadores do TRF-4, o mesmo tribunal federal que mandou prender o ex-presidente Lula. Acolhendo mais um dos pedidos dos advogados de Lula, o desembargador substituto Dr. Favreto, neste domingo (08) despachou determinando à polícia federal soltar Lula da cadeia. 

O juiz Sergio Moro botou a "boca no trombone" e disse que o desembargador não tem competência para soltar o ex-presidente e só o relator do processo de "habeas corpus" teria competência. Imediatamente o desembargador relator, Paulo Gerbran cassou a decisão de Favreto e determinou a manutenção da prisão e em seguida Favreto deu outro despacho considerando-se totalmente competente e mandou soltar o Lula. 

Se os desembargadores não se entendem na questão da competência funcional, é provável que não se entendam também quanto à matéria fático/jurídica se Lula é culpado ou inocente no processo do triplex do Guarujá, que acabou por levá-lo para a cadeia.

Mesmo que Lula não seja solto os conflitos dos desembargadores do TRF-4 e do Juiz Sérgio Moro, o fato em si constituiu-se num prato cheio para o PT fazer o "banquete midiático" pré-eleitoral e reforçando o discurso de que Lula estaria sendo alvo de um linchamento jurídico de cunho político.

Compartilhe nas redes sociais

Comentários