Utilize alimentos para não precisar de medicamentos

No decorrer da vida, o corpo humano passa por algumas anormalidades que necessitam ser corrigidas. Muitas vezes essas falhas surgem a partir dos inadequados hábitos de vida pregressos, que divido em três: alimentação, hidratação e exercício físico. A industria farmacêutica vem lucrando muito com a ausência dessas práticas, cada vez mais se tem obesidade, colesterol elevado, gastrite, diabetes, hipertensão, entre tantas outras doenças que podem ser evitadas com um consumo adequado e equilibrado de nutrientes e líquidos. 

Alzheimer é uma doença caracterizada por um progressivo e irreversível declínio em certas funções do cérebro. Segundo a OMS no Brasil em 2016 existia 1,2 milhões de pessoas atingida pela doença e a cada ano a estimativa é de 100 mil novos casos. Pesquisadores da Universidade de Bath, na Inglaterra, descobriram que o excesso de glicose afeta uma enzima conhecida como MIF. Correlacionando Alzhirmer e diabetes percebemos que essas duas patologias tem uma relação direta, há uma mudança na energia recebida pelo cérebro para exercer funções vitais, quando em excesso danificando a MIF e quando ausente hipoglicemia, em ambos os casos há perca de funcionalidade. A partir disso, nota-se uma relação da adequação da quantidade correta de açucares(frutose, açúcar refinados, carboidratos, etc.) que consumimos para manter os níveis de glicose adequados, evitando assim desfuncionalidades.

Se no princípio da vida, ainda quando crianças, houver uma preocupação com a ingestão de todos os nutrientes e micronutrientes, a tendência de desenvolver qualquer tipo de patologia é reduzida aos fatores genéticos e ambientais, que ainda sim mesmo que existam podem ser mais bem defendidos pelo  sistema imunológico do corpo com mais eficiência. Medicamentos não curam, eles melhoram os sintomas, o que te mantém saudável é o seu estilo de vida.

O grande perigo do excesso de medicamentos quando já instaladas algumas patologias, é a interação que esses tem como a nossa alimentação e órgãos. Torna-se difícil o trabalho do figado, rins, coração e muitas vezes do pulmão.  Isso por quê há uma interação de tudo que consumimos: proteínas agem melhor com carboidratos, mas agem pior com antiácidos que são utilizados para tratar refluxos. É nisso ai que devemos prestar atenção, muitas vezes pensando tratar uma doença podendo estar gerando outras. Alguns casos se necessita de um tratamento medicamentoso, mas muito cuidado com a utilização crônica, estude a substância que está administrando e veja o que ela está causando no seu organismo, assim você pode se proteger de futuras dificuldades. 

Nutricionista, Jayme Assunção. / CRN5: 11090/P

Compartilhe nas redes sociais

Comentários